Gaúchos agitam o bairro

0
442

Foto:

Membros do Centro de Tradição em apresentação na Biblioteca Clarice Lispector

Atenção. A gauchada está na área. O Centro de Tradições Gaúchas Barbosa Lessa está à procura de um galpão ou um terreno nas imediações da Lapa para conseguir fazer sua sede social e cultural. “Por ser um lugar de fácil acesso, o CTG teria condições de aumentar número de associados e ainda promover eventos beneficentes e culturais para a comunidade”, garante Francisco Carlos Fighera, que exerce a função de patrão do Centro, que leva o nome do romancista gaúcho Luiz Carlos Barbosa Lessa, morto em 11 de março do ano passado. É o primeiro CTG na cidade.
Nascido em Santa Maria (RS), Fighera conta com 39 sócios fundadores, dos quais 14 gaúchos, 19 paulistas e seis de outros Estados. Há 24 anos em São Paulo, o patrão disse que para ser gaúcho não necessariamente a pessoa precisa ter nascido no Estado do Rio Grande do Sul. “Um de nossos objetivos é difundir a cultura gaúcha para ser manifestada por qualquer interessado. Os 3,7 mil CTGs no mundo estão expandindo nossas tradições para quem quiser conhecer os nossos costumes e defender nossos ideais”, explica.
Fighera disse que os CTGs estão ligados ao Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG)em cada Estado brasileiro, que por sua vez, está associado à Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG), contando com 29 princípios que fazem parte do código de ética tradicionalista. “Nosso primeiro artigo diz que temos de ajudar o poder público a resolver os problemas para o bem coletivo. Isso começamos a fazer com a realização de festas beneficentes”, fala o patrão do CTG Barbosa Lessa, inaugurado em 25 de janeiro deste ano, homenageando a capital paulista por ser uma das moradas de Barbosa Lessa e ser o local de nascimento da mulher do escritor.
De acordo com Fighera, existe a música tradicional gaúcha, que remete à época em que o Brasil ainda era uma colônia. Essas canções fazem parte do acervo pesquisado pelo Centro, onde se valoriza o folclore, com gaita, violão, viola, pandeiro. Todos acústicos. Mas também existe um espaço no CTG para os Novos Tempos, onde se interpretam músicas modernas, com instrumentos elétricos. Ao todo, as mulheres e os homens do Barbosa Lessa ensaiam regularmente 27 músicas tradicionais gaúchas. Também se realizam diversas competições culturais entre os CTGs. No último, o VII Festival Nacional de Arte e Tradição Gaúcha, ocorrido entre 24 e 27 de julho em Sorriso (MT), Fighera ganhou um troféu por ter sido considerado o melhor Intérprete Individual Veterano Masculino.
No dia 16 de agosto, os integrantes do CTG se apresentaram na Biblioteca Clarice Lispector, que está comemorando em agosto o Mês do Folclore. Quem quiser mais informações sobre o primeiro Centro de Tradições Gaúchas Barbosa Lessa, basta entrar em contato com Fighera nos telefones 3864-8654 e 9882-8129.

COMPARTILHE
Próximo artigoPRESTIGIO

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA