Entidades se reúnem para evitar bloco na rua

0
2229

Foto: Divulgação

Divulgação
Almoço de associações e entidades teve como tema a volta do “pancadão” nas imediações da PUC

Entidades de Perdizes reforçaram a campanha para evitar a realização de um desfile de bloco de Carnaval “A PUC que te Pariu” nas imediações da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Após a visita organizada pelo gabinete do deputado estadual Coronel Camilo ao Copom realizada na segunda-feira (23), foi realizado um almoço na terça-feira (24).

Estiveram presentes o deputado estadual Coronel Camilo, o secretário de segurança urbana Coronel José Roberto, o prefeito regional da Lapa Carlos Fernandes, o superintendente da CET Coronel Arruda, o comandante do CPAM/5 Coronel Guilharducci, o delegado titular do 23º DP Marcel Druziani, o delegado de Polícia da Secretaria de Coordenação e Controle do Interior da Acadepol Levi D’Oliveira, o pró-reitor de Cultura e Relações Comunitárias da PUC Antônio Carlos Malheiros, o representante da superintendência de segurança da USP Josué Paes, o representante da CET/ Noroeste Ricardo Pradas, o supervisor do departamento de educação na rua da CET José de Oliveira Filho, o gerente da CET Noroeste Paulo Eduardo Soares, Gerson Nunes do Colégio Pré-Médico, o presidente do Conseg Perdizes Antonio Monteiro, o presidente do Conseg Leopoldina Jairo Glikson, a presidente da Associação Viva Perdizes Gisela Scheinpflug, o comandante do 4º BPM major Brito, representando o Coronel Pereira, os comandantes do 4º BPM capitão Takeshi, Capitão Rivoiro e Capitão Benites, o chefe de gabinete e assessores do Coronel Camilo, Coronel Antão, Coronel Pinnhata, Coronel Marciano e Francisco Junior, e a moradora de Perdizes Sonia Gouveia.

Durante o encontro os representantes de associações e Conselhos Comunitários de Segurança explicaram as dificuldades e prejuízos causados nas festas realizadas na Rua Ministro Godói, com depredação de carros, sujeira, consumo de drogas e barulho. Após a reunião, o presidente do Conseg Perdizes, Antonio Monteiro, afirma que a PM, GCM e CET se comprometeram a realizar uma força-tarefa, nos mesmos moldes da realizada em agosto de 2016 para conter os “pancadões”, durante o Carnaval. “A CET, PM e Prefeitura Regional entendem não existir segurança nem viabilidade técnica (para o evento), nem poderiam permitir a volta da desordem e perturbação do sossego naquele local”, afirma. A PUC, através do seu pró-reitor, desaprova todo e qualquer incômodo e perturbação à vizinhança.

O evento do Facebook do bloco “A PUC que te pariu” contava com mais de 8 mil confirmados para o evento e cerca de 33 mil pessoas interessadas, porém foi removido da rede social na quinta-feira (26). A Prefeitura Regional Lapa conversou com os organizadores dos grandes blocos da região para propor alternativas que não incomodassem a vizinhança. Segundo o prefeito regional Carlos Fernandes, a organizadora do bloco previsto para a Rua Ministro Godoi não se manifestou e, portanto, o evento não deverá ocorrer em frente à PUC.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA