Membros da OAB e CPM são barrados no PS

0
685

Foto: Maria Isabel Coelho

Maria Isabel Coelho
Representante da OAB Lapa e CPM quando foram impedidos de realizar visita ao PS em 15 de agosto de 2017

O representante da OAB Lapa, Jairo Glikson, e o coordenador do Conselho Participativo Municipal da região da Lapa, Umberto de Campos Sarti foram barrados na porta do Pronto Socorro da Lapa, na manhã de terça-feira (15). Eles chegaram ao PS acompanhados de três membros do conselho gestor, Márcia Lucchesi, José Trindade Celis e Arlínea de Arruda Botelho, para a visita. Segundo Glikson e Sarti, a preocupação com problemas estruturais os levaram a solicitar a visita com o objetivo de ajudar no encaminhamento de soluções para a falta de acessibilidade, vazamento na calha (que em dia de chuva forte inunda o interior do Pronto Socorro), problemas de manutenção da área de banho de sol da psiquiatria, entre outros.

Sarti disse que se sente cerceado na função de fiscalizador. “Depois do vazamento de um relatório feito sobre as condições do PS da Lapa viemos confirmar, mas o fato é que cercearam a visita com reunião agendada, sem ninguém para nos receber ou explicar o motivo. Barrar a entrada de um conselheiro que é fiscalizador, representante da população da Lapa, é uma vergonha. Nós temos que, na conjuntura que o País vive, ter transparência, e parece que estão escondendo o lixo, os problemas. É uma vergonha. Sinto-me numa ditadura”, conclui o coordenador do CPM da Lapa.

O representante da OAB – Lapa e presidente do Conselho Comunitário de Segurança da Leopoldina, Jairo Glikson explica que a visita foi um pedido do presidente da subseção, Celso Gioia. “Chegou ao presidente da OAB – Lapa um relatório que deixava claro a situação inapropriada do Pronto Socorro da Lapa, desde uso de telhas de amianto que são proibidas, problemas na hidráulica, elétrica, infiltração, entre outros”.

A Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo lamenta não ter tido tempo hábil para a devida apuração e, assim, emitir resposta sobre os fatos relatados. A Pasta solicitou à Coordenadoria Regional de Saúde (Oeste) para apurar as informações sobre o caso com o objetivo de melhor, se necessário, tomar as medidas necessárias e, assim, sanar eventuais problemas.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA