Pesquisa aponta insatisfação dos permissionários da Ceagesp

0
91

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Luis Pain fala com permissionários antes da apresentação da pesquisa de satisfação

A Apesp (Associação dos Permissionários do Entreposto de São Paulo) realizou na terça-feira (28) a apresentação de uma pesquisa de satisfação dos permissionários em relação a atual infraestrutura do entreposto e o sentimento em relação à possível mudança. O estudo foi realizado pela Polo Pesquisas, que conversou com 1247 dos 2700 permissionários que operam no local. Dos participantes, 80% trabalham na Ceagesp há mais de dez anos.

A pesquisa aponta que 65,20% estão insatisfeitos com entreposto, enquanto que apenas 12,67% aprovam a atual infraestrutura do entreposto. Entre as insatisfações, 87,9% são motivadas pelo alto preço para manter a operação na Ceagesp. Apesar das críticas em relação à estrutura, condições de trabalho e segurança, 53,97% são contrários à saída do entreposto da Vila Leopoldina, enquanto 27,11% são favoráveis à mudança e 14,76% se mostraram indiferentes em relação ao caso.  No caso de mudança, 23% gostariam que a nova operação fosse para Osasco e 21,5% para Perus. Já entre os lugares menos desejados, em primeiro lugar está Suzano com 38% de rejeição.  Sobre o modelo de gestão 41% preferem uma PPP (Parceria Público-Privada), 34% apostam na administração privada, 15% na administração pública e 9% não souberam responder.

A presidência da Ceagesp tem conversado com os sindicatos para informar  o andamento do processo da mudança nas esferas municipais, estaduais e federais. No encontro realizado no dia 14 de novembro, o secretário adjunto da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento, Rubens Rizek, afirmou que em breve será publicada a lista das empresas aprovadas na licitação pública aberta para a elaboração de estudos de viabilidade de mudança da Ceagesp de local.

Já o projeto do Nesp (Novo Entreposto de São Paulo) é uma alternativa criada pela iniciativa privada para o abastecimento e comércio de hortifrutigranjeiros, no bairro de Perus, com previsão de funcionamento em 2021. Alguns permissionários já apostam na nova estrutura. “O espaço (da Ceagesp) está defasado, não tem estrutura, não tem segurança”, afirma Everaldo Costa Mello, que está há 26 anos na Ceagesp com a empresa Comércio de Frutas Costa Mello. O permissionário já garantiu o seu espaço no Nesp. “É uma realidade muito bonita, um negócio de futuro, muito atual, muito moderno. Por exemplo, os meus caminhões não entram na Ceagesp porque são muito grandes. No Nesp terá estrutura para carrocerias grandes, para descarregar, fazer manobras”, diz. Costa Mello também ressalta a segurança de ser proprietário da área no novo entreposto, ao invés de ter uma permissão de uso que fica subordinada às mudanças de administração do entreposto.  O Nesp também contará com a possibilidade de locação de área dos boxes.

A Ceagesp publicou no Diário Oficial da União, no dia 28 de novembro, um chamamento para o recadastramento dos permissionários. A resolução prevê a regularização dos permissionários em situação irregular no entreposto. Segundo a Ceagesp, atualmente são cerca de 300 permissionários que estão com cadastro irregular junto à companhia e serão esses que deverão ser recadastrados para atender à determinação do TCU. O prazo para regularização é de cinco anos.  O Sincaesp (Sindicato dos Permissionários em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado de São Paulo) aponta que a mudança será um grande desafio, já que envolve toda uma cadeia de produtores, compradores, permissionários, funcionários e prestadores de serviços.  Defende também que a mudança deve contemplar todos os atacadistas que hoje atuam na Vila Leopoldina.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA