Mãos à obra

0
529

A ideia de que o ano começa depois do Carnaval ficou para trás. O ano começou bem agitado no cenário nacional e também na região. Mas movimentado mesmo está o posto de saúde que atende a Lapa, a UBS Parque da Lapa. Durante toda a semana foi possível ver longas filas de pessoas em busca da vacina contra a febre amarela.

Entidades e moradores da região continuam na batalha para conseguir as assinaturas do abaixo-assinado que pede à reabertura do Parque Orlando Villas-Bôas. Na última reunião que foi realizada no ano passado, na sede da Distrital Oeste da Associação Comercial de São Paulo, e que contou com a presença do vereador Gilberto Natalini (PV), o entendimento é de que todas as partes envolvidas estão dispostas a colaborar para que a área verde volte a ser frequentada pela população. Vamos acompanhar!

Uma demanda que saiu do papel foi o início do trabalho de remoção da erva-de-passarinho das árvores da Pompeia e Sumaré. A espécie de hemiparasita é responsável por roubar nutrientes das árvores, causando sua morte. As equipes da Prefeitura Regional começaram o trabalho em dezembro e vão continuar pelo mês de janeiro.

Já que começamos falando do Carnaval, a Secretaria Municipal das Prefeituras Regionais, responsável pelo Carnaval de Rua 2018 declara que deve publicar a relação de blocos autorizados na cidade na próxima semana. As festas começam no primeiro fim de semana de fevereiro e terminam no dia 18, com uma estimativa de público de 4 milhões de pessoas. Já é possível encontrar na internet e mídias sociais a programação de alguns blocos na região, mas a prefeitura regional e a CET estão discutindo com os organizadores o melhor trajeto para que os foliões possam se divertir sem impactar muito a vida dos moradores. Ano passado, vizinhos da PUC se mobilizaram para cancelar o desfile de um bloco no entorno da universidade que, segundo eles, seria um “pancadão”. Vamos ver se o diálogo será possível em 2018.

Por fim, neste ano de eleição veremos a atividade política se intensificar. Se ano passado foi um ano de economia e redução de gastos, é possível que, em campanha, mais coisas aconteçam. A mudança no rumo do País se faz necessária e é importante acompanhar os candidatos que pretendem liderar a nossa sociedade. O voto é um direito, apesar de sermos obrigados a exercê-lo, mas, este ano, é fundamental usá-lo bem. Todos cobram renovação, menos corrupção e um lugar mais justo para se viver, mas, como disse Gandhi, “seja a mudança que você quer ver no mundo”. O importante é fazer a sua parte. Bom começo de ano!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA