Vizinhos de praça abandonada querem PPP para revitalização

0
626

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Moradores discutem ações para ocupar praça e cobrar serviços da Prefeitura

Os moradores do entorno da Praça Emílio Pasetti, na Vila Leopoldina, se reuniram na terça-feira (6) para discutir soluções para a área verde que se encontra em grande estado de abandono. Com mato alto, a praça tem sido utilizada para descarte irregular de lixo e consumo de drogas, que é facilitado pela falta de iluminação, já que os postes ficam cobertos pelas folhagens das árvores. “Não dá para deixar nossos filhos brincarem aqui, não só pelas pessoas e pelo risco de assaltos, mas porque pode ter vidro”, afirma a vizinha Heloisa Takeda.

Outra reclamação é em relação a uma árvore de grande porte cujas raízes quebraram as calçadas, as folhas obstruem as calhas e os galhos encostam na rede elétrica. O morador Sérgio Carrieri afirma que pediu para a Prefeitura Regional da Lapa realizar o corte de grama e limpeza do local em dezembro de 2017, mas até o momento não teve retorno da solicitação. Questionada, a regional afirma que o corte de grama entrará ainda na programação de fevereiro. Outra reclamação dos vizinhos é sobre as lixeiras que existiam no local e foram quebradas e retiradas pela própria equipe de varrição, sem recolocação.
Na Rua Lauriano Fernandes Júnior, em frente à praça, no terreno onde antes funcionava a fábrica da Fesimbra — Freios e Sinais do Brasil S/A, está previsto um empreendimento da Cyrela, após a descontaminação do local. Os moradores defendem que uma PPP (parceria público-privada) com a construtora para a manutenção da praça seria uma contrapartida adequada.

Um caso semelhante aconteceu na Praça George Westinghouse, localizada na mesma rua. A moradora Lucimar Queiroz, que foi conselheira participativa pela Vila Leopoldina por dois mandatos, lutou pela iluminação da praça e conseguiu mobilizar um condomínio próximo para implementar melhorias no local, como bancos e lixeiras. Sandro Merida, assessor do vereador Police Neto, que dedicou neste ano uma emenda de R$ 30 mil para a Praça Emílio Pasetti, também participou do encontro. Os moradores acreditam que equipamentos de ginástica ou um ParCão serão positivos para o espaço, mas defendem que as prioridades são a zeladoria e iluminação.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA