Parceiros e fiscais

0
244

Todas as pessoas trabalham pelas lutas que consideram justas e conquistas que desejam para sua vida. Em muitos casos, essa dedicação pode ser facilitada e até ganhar mais sentido quando feita em conjunto com mais indivíduos. Daí que nascem as parcerias. Da mesma forma que nós escolhemos aliados para concretizar nossos interesses, no poder público as colaborações também são de grande valor.

Um esforço conjunto pode ser visto no projeto Lapa 21, com a atuação da Prefeitura Regional da Lapa, SPTrans, comunidade e o suporte financeiro que veio da vereadora Soninha Francine. Na reunião e vistoria das obras já finalizadas, realizada na terça-feira (6), Soninha citou que, muitas vezes, a PPP mais difícil é a “Parceria Público-Público”. Isso porque além da burocracia inerente à administração pública, cada órgão tem sua própria agenda, problemas e prioridades para lidar, e nem sempre é fácil casar os objetivos comuns e se dedicar para um trabalho com vários envolvidos.

Por outro lado, uma parceria que conseguiu alinhar bem as necessidades de quatro partes foi aquela proposta pela prefeitura regional com as secretarias de Trabalho e Empreendedorismo, Assistência e Desenvolvimento Social e uma unidade do Senac da região. Representantes de cada um destes segmentos se uniram para promover a capacitação de pessoas de baixa renda e das que são acolhidas pelos equipamentos localizados na Lapa, para que esse público possa encontrar um lugar no difícil mercado de trabalho da cidade.

Já outra parceria que ainda será tema de debate por um bom tempo é a que foi proposta pelo grupo composto pela Votorantim, BVEP – empresa de empreendimentos e participações do Banco Votorantim, SDI – empresa de gestão e desenvolvimento imobiliário e o URBEM, que prevê melhorias na região da Vila Leopoldina, como novos equipamentos públicos e habitação de interesse social, em troca da realização de empreendimentos que interessam aos investidores. Para essa parceria funcionar, é evidente que todo o processo de planejamento deve ser amplamente divulgado e discutido com as partes envolvidas, levando em consideração que o panorama da região deve mudar muito nos próximos anos.

Os cidadãos também podem ser parceiros do governo no que diz respeito a apontar as necessidades do lugar onde moram ou em relação ao serviço prestado por empresas públicas, afinal, os acionistas de qualquer estatal somos nós e não podemos aceitar que nosso dinheiro seja gerido de forma inadequada. Parceria pressupõe cooperação e a melhor colaboração do munícipe é o trabalho de fiscalização e cobrança para que o governo execute aquilo que foi encarregado de fazer, uma boa gestão da cidade.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA