Leopoldina recebe ação do Dia da Diva

0
175

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Evento contou com serviços de beleza, música e oficinas

Na segunda-feira (23) aconteceu do Dia da Diva na Igreja Batista Palavra Viva. A ação voltada para mulheres em situação de rua é organizada pelo Bompar (Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto), responsável pela equipe do Consultório na Rua da região, em parceria com a comunidade. A última edição do evento foi realizada no CEU Jaguaré, em março.

Além de oferecer doações de roupas, sapatos, acessórios, kits de higiene e serviços como cabeleireiro, manicure, pedicure e oficinas, o objetivo do evento é aproximar o público-alvo com a comunidade da Vila Leopoldina. “O Dia da Diva foi criado aqui na região da Lapa porque não tem muitos serviços para as mulheres em situação de rua e até por causa da própria dinâmica, da vivência da rua, por questão de proteção elas acabam se masculinizando muito. Então foi tanto para poder oferecer alguns serviços, um olhar e cuidado paras as mulheres, como no sentido de promover a autoestima dessas mulheres que vivenciam as mais diversas situações e violência. Esse projeto existe há aproximadamente cinco anos, começou aqui na Lapa e existe agora em outras regiões de São Paulo. Esse Dia da Diva especialmente foi elaborado com muito cuidado pela própria comunidade, o que é de extrema importância porque essas pessoas que estão em situação de rua aqui na Lapa percorrem esse território. A comunidade que mora aqui organizar e quebrar essa barreira que existe entre pessoas que ocupam o mesmo espaço é muito importante. São pessoas que transitam aqui e vão conviver junto. Tem um público bem heterogêneo, hoje a maior parte foram mulheres trans, que ficam principalmente na cena de uso da região da Leopoldina”, explica Rhavana Pilz Canônico, interlocutora técnica das equipes do Consultório na Rua.

A percepção do evento foi bastante positiva.  “Estou adorando de paixão, vesti altos looks, com roupas finíssimas, coisas de moda que eu gosto muito. Parabéns para todo mundo que fez esse evento, que participou, teve esse carinho, esse repeito e educação de chamar a gente da rua para participar”, declara Rebeka Alice. “Estou achando o dia muito legal, principalmente pelo pessoal do Atende, Seas IV que está sempre presente, o pessoal do Bompar”, diz Stefani Caroline dos Santos. Estou gostando muito da atenção, do espaço, do ambiente. Hoje é um dia que eu não estava muito legal, me chamaram e quase que eu não vinha, mas foi a melhor coisa que aconteceu no meu dia. Ver que o pessoal pensou nos mínimos detalhes”, afirma Bianca Lagos Lima. As três mulheres são conviventes do Atende localizado ao lado do portão 18 da Ceagesp.

Daniel Beltrão, pastor da Igreja Batista Palavra Viva, ressalta a importância de participar de um evento com as pessoas que estão no bairro. “O público-alvo do evento está aqui do nosso lado, então acolher o Dia da Diva para a gente é muito importante, até porque já temos um trabalho de assistência social e atendemos esse público também. Fortalece o vínculo com as organizações sociais do nosso entorno e nos ajuda a fortalecer o vínculo com o público-alvo. Temos que trabalhar em rede, tem aqui pelo menos três organizações representadas junto com a igreja, voluntários do bairro. Por ter sido feito convite por parte da igreja muito vizinhos do entorno acabaram se envolvendo também”, afirma.

Entre os voluntários que participaram da ação está a professora e moradora Adriana de Rezende. “Eu soube pelo grupo de voluntário da escola e também sou vizinha da igreja. Fui me envolvendo aos pouquinhos e achei super legal ajudar as pessoas e rever alguns conceitos. Acho que ao conversar com uma pessoa diferente, você percebe quanto a nossa vida é boa, é uma coisa que te pega. Estou feliz. Você faz novos amigos e descobre coisas novas”, diz.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA