Jornada do Patrimônio tem 300 atividades pela cidade

0
399

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
A Casa Amarela da Vila Romana, construída em 1921 pelo italiano Angelo de Bortoli

Neste final de semana (18 e 19) acontece a Jornada do Patrimônio da Secretaria Municipal de Cultura, com o tema “Uma Cidade, Muitas Mãos”, com o objetivo de valorizar os diversos grupos que construíram o patrimônio cultural da cidade e ajudaram na formação da identidade paulistana. “Vamos organizar a programação por região da cidade, remetendo aos grupos de pessoas como nordestinos, alemães, italianos, japoneses, árabes, portugueses e muitos outros imigrantes. Esta colaboração plural está presente na arquitetura, na gastronomia, no comércio e nos costumes do dia a dia da capital paulista, que podem ser conferidos durante o evento”, destaca o secretário de Cultura André Sturm.

A programação gratuita e diversificada foi pensada para aproximar a população dos espaços históricos ou com valor afetivo que fazem parte da história da cidade. Ao todo, serão realizadas 300 atividades, entre roteiros, palestras, oficinas, visitação a imóveis, visitas guiadas e lançamentos de livros.

Na região, acontece um roteiro que percorrerá ruas do Pacaembu, bem como corredores de serviços e o estádio, construído em terreno da Cia City doado para a prefeitura de São Paulo no sábado (18), às 10h, com saída da Praça Arquiteto Barry Parker. A Casa das Caldeiras (Avenida Francisco Matarazzo, 2000) receberá visitas guiadas, no domingo (19), às 10h, 11h30 e 15h. O Teatro Cacilda Becker (Rua Tito, 295) recebe visitas guiada no sábado (18) às 12h, 14h, 15h, 18h e 20h. O Sesc Pompeia (Rua Clélia, 93) recebe visitas nos dois dias de evento, às 11h e 15h, conduzidas pelos educadores Melissa Rudalov, Bruno Makia, Maria Meskelis, Vanessa Lina, Andreia Souza, além de oficinas infantis, às 14h e 16h. A Casa Guilherme de Almeida (Rua Macapá, 187) também terá visitas nos dois dias, às 11h e 15h, sendo que no sábado será realizada uma visita temática especial, baseada no texto Cosmópolis do autor.

O Memorial da América Latina (Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664), uma das principais obras do arquiteto Oscar Niemeyer, com seus 84.000 m², realiza as visitas guiadas às 10h e 15h, em ambos os dias, além da programação cultural e gastronômica ao longo do dia. A Biblioteca Clarice Lispector (Rua Jaricunas, 458), criada na década de 50 pela Sociedade Amigos do Bairro Siciliano, recebe visitas no sábado, às 11h e 15h, e no domingo, às 10h e 12h.

A Casa Amarela da Vila Romana, construída em 1921 pelo italiano Angelo de Bortoli, que chegou ao Brasil no fim do século 19, foi projetada quando as ruas ainda não haviam sido demarcadas, e é a mais antiga edificação do bairro. Além de conferir um acervo de revistas, jornais e publicações a partir da década de 40, e quadros do artista Osmar Beneson, os visitantes poderão participar da oficina “Uma carta para a casa”. O imóvel foi preservado apesar de toda a transformação do bairro, com o surgimento das ruas em 1946, a canalização do Rio Tiburtino. “As pessoas gostam demais, recebo muitos elogios e todos querem conhecer aqui. A casa é muito querida pela comunidade”, diz a proprietária Janice de Piero, que propõe através da escrita o exercício de reflexão sobre identidade, preservação e cidadania. A casa estará aberta para visitação das 11h às 18h em ambos os dias.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA