Candidatos falam sobre segurança e educação em evento

0
184

Foto: Consuelo Fernandez

Consuelo Fernandez
Os candidatos Coronel Camilo e Delegado Maurício Freire participaram do Café com Política a convite da Página Editora

Os candidatos Coronel Camilo e Delegado Maurício Freire participaram do Café com Política na terça-feira (18), a convite da Página Editora, com apoio da ACM Lapa e Yano Gastronomia.

Com 33 anos na Polícia Militar de São Paulo, Coronel Camilo chegou a ser Comandante-geral da corporação entre 2009 e 2012 e sempre defendeu uma relação de parceria entre a comunidade e os agentes de segurança. Entre seus projetos de destaque está a “Lei dos Pancadões”, que permite a intervenção da PM quando carros estão com o som alto em vias públicas, e a instituição do programa Vizinhança Solidária. Ele atualmente concorre à reeleição ao cargo de deputado estadual.

O Delegado Maurício Freire nunca teve um cargo no legislativo e está em campanha para representar São Paulo como deputado federal. Delegado há 40 anos, Freire foi Delegado Geral de Polícia e Presidente do Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil. Freire é a favor do direito de defesa do cidadão, seja através de armas ou de sistemas de segurança sofisticados, da redução da maioridade penal, da revisão da Lei de Execuções Penais, para tornar mais rígido o controle das saídas temporárias de presos, e de trazer mais recursos, condições de trabalho e dignidade para os policiais. Ambos os candidatos são do PSD.
Em sua fala, Camilo explicou a importância da educação para a formação dos cidadãos. “Não podemos falar em direitos sem falar em deveres”, declara. O candidato também atribui às falhas na educação a necessidade de um controle social forte e enfrentamento da desordem. “Sou defensor do enfrentamento da desordem, não só porque eu acredito, mas porque estudei o crime no mundo. O enfrentamento da desordem diminui a criminalidade”, diz. O candidato cita o prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani, que nos anos 90 reduziu em cerca de 60% a criminalidade ao combater pequenos delitos como lixo na rua, pessoas que pulavam a catraca do metrô e pichações. “Tem que criar um sentimento de unidade e diminuir a impunidade. Não pode ser indiferente a qualquer coisa que esteja errada, inclusive no poder público. Cada um precisa fazer a sua parte. É fácil reclamar para o poder público que o bueiro está entupido e jogar lixo na rua”, declara.

O Delegado Maurício Freire falou da importância de modernizar as leis e torná-las mais efetivas. “Quem constrói nossa legislação são pessoas que trabalham muito mal. Ela precisa ser modernizada. Precisa andar na velocidade que nós temos no mundo, cibernética. São Paulo é uma ilha de exceção e, na época que eu estava na Delegacia Geral, comemoramos por chegar aos índices preconizados pelas Nações Unidas, com 10 homicídios por 100 mil habitantes, mas no Brasil morreram 63.300 pessoas ano passado. No Estado de São Paulo aconteceram 1020 estupros em agosto. Não tem nada para comemorar, não temos que nos comparar com o que há de pior, tem que comparar com o que for melhor”, diz.

Ao final, os candidatos responderam perguntas das lideranças presentes no evento. João Antônio, morador da região, aproveitou a ocasião para agradecer ao Coronel Camilo por sua intervenção na resolução de um conflito causado por uma linha de ônibus intermunicipal na Lapa.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA