Saúde na U.T.I.

0
154

Os serviços de saúde na região da Lapa estão em estado crítico. Mais de 305 mil pessoas da Prefeitura Regional, além de milhares que aqui trabalham e circulam, não dispõem de um único hospital público desde 2010, quando o Hospital Sorocabana foi fechado – vítima da má gestão de uma entidade privada. Recentemente, novas ameaças de fechamento, como o de AMAs.

Essa situação reflete políticas dos governos federal, estadual e municipal que têm limitado os investimentos em saúde – agora congelados durante 20 anos pela irresponsável “PEC do Teto dos Gastos” (EC 95/2017). Já o alto desemprego e aumentos extorsivos de planos privados de saúde (com vários limites aos tipos de cobertura) levam à maior demanda pelo SUS.

Esse sucateamento do SUS pelos governos é intencional. Depois de precarizados, os serviços são privatizados – o que causa sérios desvios de recursos públicos, como aponta a atual CPI das OS de Saúde na Alesp.

O Conselho Gestor de Saúde (CGS) da Lapa tem feito sua fiscalização. Reivindicamos melhores condições para o PS Lapa e UBS Vila Ipojuca – não será aceito um “contêiner” como solução dos problemas –, bem como a municipalização e reabertura do Sorocabana, 100% SUS e sob gestão pública.

Mas é fundamental maior mobilização popular. Saúde não é mercadoria. O CGS Lapa está apoiando essas causas.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA