Black Friday fomenta comércio em diversos segmentos

0
1578

Foto: Tiago Gonçalves

Tiago Gonçalves
Sacolão da Lapa oferece descontos em vinhos e azeites durante a Black Friday

A Black Friday já se estabeleceu no Brasil como um dos grandes dias do comércio, ao lado do Natal e Dia das Mães. Este ano, o dia de descontos acontece nesta sexta-feira (23) com ofertas em lojas físicas e virtuais em diversos segmentos, incluindo mercados e serviços.
Segundo Fábio Reis, gerente do Sacolão Lapa que participa pelo quarto ano da Black Friday, os clientes aproveitam a data para comprar produtos não perecíveis. “Vendemos bem a parte de azeites e vinhos, porque os produtos perecíveis não dá para estocar. O fluxo de pessoas não costuma ser muito maior do que aquele que temos no dia a dia, mas percebemos o aumento do ticket médio nos caixas”, afirma.

A Associação Comercial de São Paulo estima que as vendas da Black Friday devem crescer até 3% no varejo físico em relação à 2017.“A antecipação de compras que seriam feitas para o Natal pode acontecer, principalmente de eletroeletrônicos, mas para o comércio o mais importante é vender, seja em novembro ou dezembro”, diz Alencar Burti, presidente da ACSP. “A Black Friday é bastante centrada em produtos importados ou fabricados com peças importadas. Com o dólar mais elevado em relação a 2017, é possível que os preços desses itens estejam mais caros. Por outro lado, o crédito à pessoa física está mais barato, os prazos estão mais longos e a própria economia está melhor, contribuindo para uma expectativa positiva”, completa. Quem busca produtos como eletrodomésticos pode conferir as promoções das lojas na Rua Doze de Outubro.

O consumidor precisa ficar atento e pesquisar os preços para não fazer um mau negócio. Muitas empresas aumentam os preços na véspera e aplicam um desconto que faz o produto ficar com o preço próximo ao original. Segundo a Fundação Procon-SP, no ano passado as principais queixas dos consumidores diziam respeito a anúncios de produtos ou serviços indisponíveis, maquiagem do desconto, mudança de preço ao finalizar a compra e sites congestionados ou bloqueados. Na comparação dos eventos de 2016 e 2017 houve uma redução no número de queixas de 2.654 para 2.091. Por outro lado, as irregularidades constatadas em lojas físicas pela fiscalização subiram de 15,5% para 78,26%.

Consumidores que tiverem denúncias ou reclamações podem utilizar a hashtag #ProconSPnaBlackFriday nas mídias sociais, preencher o formulário no site (http://sistemas.procon.sp.gov.br/atendweb/) ou ligar para o telefone 151. Vale ressaltar que na Black Friday nenhum direito do consumidor está excluído, como o direito de arrependimento previsto no artigo 49 do CDC.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA