Música e arte como forma de educação

0
468

Foto:

Célia Regina Manno e Sandra Mattos: parceria para a futura construção da biblioteca comunitária do

Renata De Grande

Há 5 anos o projeto Crescente iniciou o trabalho com a comunidade mais pobre do Jaguaré, oferecendo uma oportunidade de educação através da arte.
A coordenadora do Crescente, maestrina Sandra de Mattos explica como surgiu a idéia do projeto. “O Projeto Eduardo Marlière foi o primeiro trabalho do Crescente e nasceu em 2001, de uma parceria com a empresa Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos. Seu nome é uma alusão ao Dr. Eduardo Marlière que constantemente trabalhava em hospitais da periferia atendendo gratuitamente. Um dia foi encontrado em um sinal de trânsito dentro de seu carro, morto. No impacto deste acontecimento havia a pergunta: como viver ante a agressão, como conviver com a incerteza, como responder a este evento? Foi decidido então criar um projeto onde se plantasse a alegria, onde houvesse esperança e o valor do ser humano fosse acordado dentro das pessoas”, afirma a maestria que também coordena há 10 anos o coro de funcionários da empresa Roche.
Em 2004 foi inaugurada a sede do Crescente bem próximo às escolas parceiras. Neste espaço, outras atividades surgiram, e atualmente conta com nove projetos que atendem acrianças a partir de 7 anos a jovens de até 19 anos, e uma equipe constituída por 22 profissionais, 9 adolescentes monitores e vários voluntários.
Hoje no projeto Eduardo Marllière oferece dez oficinas– violino, violoncelo, flauta doce, coro infantil, violão, percussão, teatro, dança, banda pop-rock e canto, onde são atendidas mais de 500 crianças em atividades semanais. As atividades acontecem nas escolas estaduais: Henrique Drumont Villares, João Cruz Costa, Maria Eugênia Martins, Augusto Amaral e Architeclino dos Santos e atendem a crianças do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. O projeto Crescente mantém outras parcerias com instituições da região. Uma delas é com a Biblioteca Municipal Infanto-Juvenil Cecília Meireles, através da diretora Célia Regina Manno, que introduziu o “Era uma vez a história”. “É um acompanhamento da evolução da escrita e leitura. Muitas crianças de 5ª série que não sabiam ler, perceberam o prazer da leitura através da contação de histórias. Trata-se de uma atividade diária de “contação” de história dirigida às crianças e aos jovens da região, freqüentadores ou não do Crescente. Desenvolvido por meio da formação, coordenação e supervisão de uma equipe de contadores de histórias, o projeto cria uma programação e explora as diversas formas de contá-las. Esta equipe é composta por participantes do curso de formação para contadores de histórias, aberto ao público interessado e oferecido na sede do Crescente. Mais que um simples momento de lazer, contar história constitui uma atividade fundamental na formação de crianças e jovens. Resgatar esta atividade em suas inúmeras dimensões é contribuir para a formação, desenvolvimento e integração social desses indivíduos”, esclarece Sandra Mattos, revelando que outro projeto está em andamento em parceria com a diretora Célia Manno da construção de uma biblioteca comunitária para a região.

Projeto Crescente
Rua Alarico Franco Caiubí 361, Jaguaré.
Telefone: 3763 7039.
projetocrescente@yahoo.com.br

COMPARTILHE
Próximo artigoPRESTIGIO

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA