Seis moradores de rua instalados na Avenida Doutor Gastão Vidigal aceitam ir para abrigo

0
388

Foto: Maria Isabel Coelho

Maria Isabel Coelho
Equipes da prefeitura realizam ação de zeladoria na Avenida Doutor Gastão Vidigal

Equipes da Prefeitura Regional, assistentes sociais, representante da Secretaria de Direitos Humanos, GCM e Polícia Militar participaram da ação de zeladoria (limpeza e corte de grama) no canteiro central da Avenida Doutor Gastão Vidigal, na terça-feira (30). Dos cerca de 30 moradores de rua espalhados pelo canteiro no dia, seis aceitaram encaminhamento da assistência social para o abrigo Zancone da Avenida Imperatriz Leopoldina, onde eles têm direito a banho, refeição e pernoite. Foram retirados quatro caminhões (dois da Inova e dois da Prefeitura Regional) com materiais diversos durante a operação.

Com as noites frias, o prefeito João Doria publicou uma portaria no Diário Oficial de quarta-feira (31) para evitar que moradores de rua tenham seus pertences recolhidos, como cobertores e colchões, nas operações de limpeza e zeladoria.

Doria tinha publicado um decreto na direção contrária no início do ano, que retirava o parágrafo publicado pelo prefeito Fernando Haddad que proibia a GCM de recolher colchões e cobertores de moradores de rua. Com a nova portaria, funcionários da prefeitura voltam a ser proibidos de recolher pertences. Segundo a nova decisão, a retirada de “favelinhas” (barracas) continua autorizada, mas tudo que o morador de rua conseguir carregar, como cobertores e colchão, não podem ser levados. Ou seja, a regra criada por Haddad volta a valer na cidade.
Baixas Temperaturas

O Abrigo Zancone atende cerca de 100 moradores de rua. No período de noites mais frias o número é ampliado em 20 vagas noturnas.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA