Política, corrupção e sonhos

0
38

A semana foi de turbulência política em Brasília e também na Lapa. Lá, pela votação da acusação de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer, e aqui pela denúncia de irregularidades na aplicação da Lei Cidade Limpa. Segundo reportagem da Rádio CBN, fiscais de Prefeituras Regionais faziam vistas grossas para propagandas vetadas pela Lei Cidade Limpa. Em sua matéria, o jornalista Pedro Durán revela que as maiores fontes do pagamento de propina são grandes empresas que querem divulgar lançamentos imobiliários ou vender veículos, por exemplo.

Para conseguir os relatos de funcionários públicos, o repórter se passou por um organizador de feirão de automóveis. Na Lapa, o agente de apoio Edivaldo Souza Lima foi abordado para facilitar a publicidade nas ruas e levou o “organizador do feirão de automóveis” até o chefe de gabinete da Prefeitura Regional da Lapa, Leandro Benko. A matéria relata que “de portas abertas, Leandro cobra a propina no próprio gabinete”. O repórter gravou em vídeo a conversa com o chefe de gabinete. “Nos cálculos dele, com menos de R$ 7 mil por fim de semana dá pra fazer a ação ilegal”, diz a reportagem, mas para evitar qualquer risco todos precisam participar do esquema, inclusive o prefeito regional Carlos Fernandes.

No mesmo dia, o prefeito regional da Lapa postou em sua página da rede social: “a corrupção é um câncer na gestão pública e precisa ser combatida em todas as suas formas. E é isso que faremos na Prefeitura Regional da Lapa diante das denúncias feitas nesta matéria da CBN São Paulo. O Chefe de Gabinete, Leandro Benko, já pediu afastamento de suas funções para que seja realizada a devida investigação. Já o agente Edivaldo Souza Lima é um servidor que já foi exonerado há muito tempo, mas se mantém no cargo sob mandado de segurança, que esperamos agora reverter. O servidor foi exonerado do cargo novamente”.

Carlos Fernandes também registrou que não tinha conhecimento dos ilícitos denunciados e que eles serão apurados. “Não serei jamais conivente com nenhum tipo de corrupção. As investigações correrão com todo o meu apoio e total transparência por parte da Prefeitura Regional”, diz o post.

Leandro Benko afirma que a gravação veiculada na CBN, com o título “Fiscais da prefeitura cobram propina para liberar propaganda ilegal em São Paulo”, onde conversa com o repórter, que se passou por empresário, foi editada. “Minha intenção ao receber o repórter era de colher informações sobre um possível ato de ilegalidade praticado pelo funcionário. Infelizmente, a gravação foi editada de modo que parece que eu compactuava com a proposta delituosa”, afirma Leandro que pediu afastamento do cargo, até que todo o episódio se esclareça.

Seja onde for, Brasília ou Lapa, a corrupção é um câncer, como postou Carlos Fernandes no Facebook, que corrói a sociedade, tira vidas quando desvia recursos de hospitais, tira o sonho da casa própria quando não se investe em habitação e, principalmente, tira a educação do povo quando deixa de investir em escolas.

Seja Lava Jato ou em denúncias como a do jornalista da Rádio CBN, é preciso apurar e tirar os corruptos do cenário político para que eles não acabem com os sonhos de todos nós.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA