Matarazzo fala de futuro político e questões da Lapa em café na redação

1
1364

Foto: Rosana Braccialli

Rosana Braccialli
Político fala sobre corrupção, saída da Ceagesp e concessão de mercados municipais

Andrea Matarazzo participou de um café na redação do Jornal da Gente na terça-feira (8). Filiado ao PSD desde 2016 e candidato a vice-prefeito na chapa de Marta Suplicy, Matarazzo já foi vereador, subprefeito da Sé, secretário municipal de Serviços, das Subprefeituras, de Estado de Energia, da Cultura, ministro de Comunicação e Embaixador do Brasil na Itália.

Entre os temas discutidos esteve o esquema de propina envolvendo a Prefeitura Regional da Lapa, para a liberação de publicidade ilegal. “Se você não ficar permanentemente em cima, acontece. A única solução que você tem é a substituição dos modelos de fiscalização e alteração de leis”, afirma.

O ex-secretário também falou sobre o trabalho de vereadores com questões de zeladoria. “Quando a prefeitura começar a funcionar bem, o vereador passa a fazer só o que deveria, que são as leis. Hoje (os vereadores) têm um papel junto à prefeitura brutal, de mostrar onde tem buraco, onde tem árvore para podar, porque a população cobra”.

Sobre o projeto de João Doria para a concessão dos mercados municipais, como o da Lapa, Matarazzo defende que os próprios permissionários administrem o espaço. “Não tem por que a prefeitura administrar, é outra fonte de corrupção”, diz.

Matarazzo também critica as condições atuais da Ceagesp e afirma não ver motivo para a mudança do entreposto da Vila Leopoldina. “Acho bobagem tirar a Ceagesp de lá. A última vez que fui fiquei muito espantando com a quantidade de lixo, concreto do muro amarrado com ripa de madeira, sujo. Poderia ter um valor agregado imenso e maximizar muito a utilização do espaço. É uma vergonha, não tem banheiro, prostituição, favelas, drogas, tudo reflexo daquilo lá, e vai deixando deteriorar e vai piorando. É o que aconteceu na cracolândia”, relata.

Sobre o futuro, Andrea Matarazzo fala do seu projeto de ser prefeito da cidade. “O natural agora é ser candidato a deputado federal. Só quero um projeto na minha vida que é ser prefeito de São Paulo”, declara o político que, se eleito, poderá ser deputado por dois anos até as eleição para Prefeitura em 2020.

1 COMENTÁRIO

  1. Eu não consigo entender a colocação dessa pessoa..!! como pode ser contra a transferência do Ceagesp..!!! e ao mesmo tempo dizer que lá é um antro de sujeira, lixo, prostituição e favelas…?, não deveria ser o contrário..?, tirar o Ceagesp de lá, levá-lo para Perus, num local mais amplo, de melhor acesso aos distribuidores, do que ficar ai na Leopoldina, encafurcado, apertado, deixando um bairro sujo, mal visto pela detereorização do espaço, quando se passa lá se vê: aquele monte de barracos, lonas, pedintes, sujeira, filas e filas de caminhões apertados, nossa..!!aquilo é um horror, acho que a mudança vai beneficiar a todos…vamos ser honestos, não adianta querer tapar o sol com peneira…não funciona.!

DEIXE UMA RESPOSTA