Secretário anuncia projetos para modernização dos serviços

0
2838

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Daniel Annenberg recebe veículos regionais para falar sobre projetos da pasta

Daniel Annenberg, secretário municipal de inovação e tecnologia, participou de uma coletiva de imprensa na terça-feira (18) com jornais de bairro. Na reunião, foram apresentados os projetos que estão em andamento e que serão desenvolvidos no próximo ano pela pasta. O principal objetivo é ampliar a oferta de serviços eletrônicos e tomar medidas para a desburocratização. “O grande problema no Brasil não é inaugurar mais Poupatempo, escola ou posto de saúde, é melhorar a gestão dos equipamentos já existentes. Se conseguir fazer isso com políticas de médio e longo prazo, a gente melhora muito o país. É o que estamos tentando fazer aqui na nossa área”, diz o secretário.

Annenberg falou sobre o Empreenda Fácil, que reduziu de cem para cinco dias o período para a abertura de empresas, a digitalização de processos e o “Descomplica SP”, com modernização das praças de atendimento das subprefeituras, capacitação de funcionários e integração de serviços, de forma semelhante ao que acontece nas unidades do Poupatempo. O “Descomplica SP” já está em funcionamento em São Miguel Paulista e será ampliado para outras regiões.

Também foi lançado um edital para empresas que queiram fornecer Wi-Fi em praças, parques e outros locais de interesse público, como CEUs e pontos turísticos. Atualmente existem 120 pontos com internet, com o custo de R$ 12 milhões por ano. Com o edital, a ideia é que a empresa assuma os 120 pontos existentes e amplie o serviço para um total de mais de 600 locais, sem custo para a Prefeitura e retorno através de marketing digital.

O serviço do canal 156 também deverá ser modernizado. Annenberg afirma que são abertos 20 mil chamados por dia, e a pasta automaticamente distribui os serviços para os órgãos de competência. O secretário afirma que a Prefeitura organiza os processos de forma a melhorar a relação com as empresas terceirizadas que prestam os serviços e, assim, tornar mais eficaz o retorno das demandas para o munícipe. Uma das reclamações dos moradores da Lapa é o encerramento de protocolos sem a realização do serviço. “Cada subprefeitura recebe diariamente as demandas do 156. Demora porque às vezes não tem equipe para fazer ou porque a demanda é maior do que a capacidade de responder. Para poda de árvores, por exemplo, precisa dos mapas de calor, agrupar solicitações do bairro ou rua, ver todos os serviços e fazer de uma vez só, muito melhor do que a equipe fazer um serviço pontual e voltar para a base. Isso é gestão”, afirma Annenberg.

O secretário afirma que quando assumiu a pasta havia mais de 600 mil demandas abertas no sistema 156, incluindo serviços prestados que não foram finalizados na plataforma e repetidos, e que hoje essa fila está em 350 mil.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA