Galho se desprende e atinge mulher durante procissão

0
803

Foto: Divulgação

Divulgação
Galho que atingiu mulher na Rua Duílio

Durante a procissão do feriado da Sexta-feira Santa (19) da Paróquia São João Maria Vianney um galho caiu de uma árvore de grande porte na Rua Duílio e atingiu uma mulher que acompanhava o cortejo.

Os paroquianos acionaram o SAMU, mas após aguardarem por 1h20 sem atendimento, decidiram chamar os bombeiros que chegaram ao local em quinze minutos. A vítima foi encaminhada ao atendimento médico e não corre risco. Um morador da Rua Duílio mostrou ao Padre Raimundo Vieira os protocolos com pedido de poda das árvores que estão na mesma calçada do local onde caiu o galho. Os pedidos são de 2009 e 2013. “A Prefeitura não atende no prazo razoável as solicitações de poda. Inclusive um técnico da Prefeitura marcou um X em duas árvores desta mesma calçada, indicando que ambas estão condenadas. Só que até hoje não removeram as árvores”, afirma o Padre Raimundo Vieira, que também cita a árvore localizada em frente à EMEI Noêmia Ippólito. “É um absurdo a quantidade de árvores com risco iminente de queda em nosso bairro, com solicitações de podas junto à Prefeitura”, completa.

Outro episódio ocorreu na terça-feira (23) quando um galho muito grande caiu de uma árvore na Rua Eusébio de Paiva, em frente a uma viela. Alceu Faria, morador da via, afirma que a última poda no exemplar aconteceu há três anos. A Subprefeitura Lapa afirma que para a realização do serviço é necessário o apoio da concessionária de energia elétrica, que já recebeu três ofícios com as solicitações de poda no local, um de 2015, um de 2017 e outro deste ano. A Enel Distribuição São Paulo informa que recebeu na quinta-feira (25) um ofício da Subprefeitura Lapa solicitando a poda no endereço informado e que o serviço será incluído na programação da distribuidora.

Divulgação
Até sexta-feira (26) galho de grande porte continuou na viela da Rua Eusébio de Paiva

Já a ACM Lapa, localizada na Rua Brigadeiro Gavião Peixoto, afirma que entrou com pedidos de poda, remoção e replantio de árvores que estão próximas à sua sede em agosto de 2018, alegando que os exemplares oferecem risco de queda de galhos. Com um público que frequenta a associação composto por muitos idosos e crianças, a entidade quer prevenir acidentes, mas afirma que não recebeu resposta da Prefeitura sobre o caso até o momento.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA