Mutirão tem grande procura por vagas

0
783

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Equipes com o secretário João Jorge, subprefeito Leo Santos e vereador Fabio Riva

Antes mesmo do início do mutirão realizado pela Prefeitura na Lapa, no sábado (22), já era possível ver uma longa fila nas ruas Doze de Outubro e Cincinato Pamponet. O serviço com maior procura foi o da tenda do CATe que disponibilizou 400 vagas de emprego no evento. “Infelizmente a economia não está aquecendo no ritmo que esperávamos, portanto a geração de vagas ainda não decolou como queríamos esse ano, mas, paradoxalmente, existem vagas disponíveis que não são preenchidas. Nós temos em média no CATe 4 mil vagas todos os dias à disposição, em São Paulo inteira, e aqui na Lapa, na região noroeste como um todo, temos 400 vagas disponíveis que trouxemos para o mutirão hoje. Algumas pessoas já saem daqui encaminhadas para a próxima fase e outras têm contato com as empresas aqui mesmo”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho Aline Cardoso.

No total foram realizados 347 atendimentos e cerca de 100 pessoas foram encaminhadas para as vagas. “Infelizmente tem muita gente que vem aqui com a esperança de conseguir uma vaga e não consegue. Às vezes tem um descruzamento entre a vaga disponível e o perfil do desempregado. Muitas pessoas não têm experiência e todas as empresas que estão aqui conosco pedem seis meses de experiência”, completa Aline Cardoso. Quem não pode comparecer ao mutirão, pode ir de segunda a sexta-feira no CATe Lapa, na subprefeitura (Rua Guaicurus, 1000), das 8h às 17h, onde é feita a emissão de carteira de trabalho, seguro-desemprego e encaminhamento para vagas de emprego.

O subprefeito Leo Santos ressaltou o trabalho na região para a inclusão de pessoas com deficiência. “O carro-chefe hoje foi o emprego, com 400 vagas oferecidas para a população, sendo que 28 são para pessoas com deficiência. Temos uma relação próxima com a SMPED (Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência) e com o secretário Cid (Torquato) para desenvolver na Lapa as políticas para a pessoa com deficiência”, afirma o subprefeito.

O prefeito Bruno Covas não compareceu ao mutirão na Lapa e foi representado na ação pelo secretário chefe da Casa Civil João Jorge. Questionado sobre como o programa Mutirão nos Bairros, com ações pontuais em cada local, se alia à estratégia de zeladoria na cidade, o secretário afirma que os problemas devem ser resolvidos de forma mais rápida a partir de agora. “Tivemos três meses bem complicados no começo do ano, com muita chuva, além do comum, que castigou muito a cidade, contratos terminando e o MP que pediu para fechar a usina de asfalto da Prefeitura. O prefeito teve que ser rápido para cuidar desses contratos, das finanças e da zeladoria. Se você notar, de 60 dias para cá (a zeladoria) melhorou muito, a cidade está em plena recuperação. Mesmo com ponte e viaduto caindo, o prefeito age com rapidez para gerenciar as crises e a cidade vai melhorar”, declara João Jorge.

O Mutirão nos Bairros, programa da prefeitura que leva semanalmente para diversos locais da cidade serviços de zeladoria e atendimentos variados, teve mais de 4 mil atendimentos na Lapa. Foram realizados 100 atendimentos odontológicos, 120 do Programa de Assistência ao Idoso (PAI), 172 orientações de conscientização da vigilância ambiental sobre dengue, zika e chikungunya, 181 orientações de habitação, aplicadas 173 vacinas de febre amarela e 467 de sarampo, caxumba e rubéola, 208 atendimentos de acupuntura, 51 cortes de cabelo gratuitos pelo Instituto Embelleze, entre outros. Foram distribuídos 1800 livros pelo programa De Mão em Mão, show de samba do grupo Lembra de Mim e apresentação da escola Águia de Ouro.

Bárbara Dantine
Durante o evento foram realizados mais de 4 mil atendimentos à população

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA