Moradores questionam requalificação de ciclovia sem melhorias na pista inteira

0
439

Foto: Divulgação

Divulgação
Trecho da Rua Tomé de Souza que recebeu recapeamento apenas na parte da ciclovia

Desde a sua implantação em 2016, a ciclovia da Rua Tomé de Souza tem sido alvo de críticas dos moradores da via. Eles se queixam do estreitamento da pista de duas mãos, o que pode ocasionar um acidente, da perda de vagas na rua e da dificuldade de entrar ou sair de casa, especialmente nos casos de idosos com mobilidade reduzida.

Agora, o novo conflito dos vizinhos é em relação à requalificação da ciclovia. Tudo começou com bastante barulho no período noturno com o início das obras. Apesar do sono perdido, os moradores consideraram que esse seria um preço justo a se pagar para ter novo asfalto na frente de casa. Porém, eles foram surpreendidos quando perceberam que apenas o trecho da ciclovia foi recapeado e não a pista inteira.

Conversando com um dos trabalhadores da obra, foram informados de que as verbas para requalificar ciclovias e recapear ruas são distintas, e por isso apenas a ciclovia seria refeita. “As verbas da Prefeitura deviam ser melhor utilizadas, principalmente na readequação das ciclofaixas. É um absurdo fazerem uma via de ciclofaixa com novo asfalto na metade da rua e a outra metade, para os carros, não receber o serviço. É uma negligência. Da mesma forma, a Sabesp abriu recentemente um buraco na Rua Passo da Pátria para fazer manutenção e o asfalto era novinho. A Prefeitura utiliza os recursos muito mal, parece que não tem planejamento nenhum. Essa ciclofaixa já era muito malfeita porque não cabem carros nos dois sentidos e ainda a ciclofaixa. Eu não sou contra a ciclofaixa, mas tem que ter planejamento”, afirma o morador Antonio Cirone.

Questionada sobre o caso, a Secretaria Municipal das Subprefeituras informou que investirá R$ 250 milhões no recapeamento de vias com ciclofaixas que passam por requalificação ou receberão novas faixas, e que está sendo realizado o levantamento desses locais. Afirma ainda que cerca de 50% dessas vias receberão algum tipo de intervenção de recapeamento. Isso quer dizer que, não necessariamente todas as ruas onde foram criadas novas ciclofaixas ou requalificadas as já existentes, terão o recapeamento completo. Segundo a secretaria, o material utilizado para as ciclofaixas é diferente do que é utilizado para vias comuns, de trânsito de veículos, e que o recapeamento que for feito posteriormente não comprometerá a reforma do trecho destinado às bicicletas.

Já a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informa que a ciclofaixa da Rua Tomé de Souza é uma das estruturas cicloviárias que passaram por requalificação e que as ruas dos Aliados e Duarte da Costa também receberam fresa e recapeamento, além de nova sinalização, com pintura vermelha nas aproximações dos cruzamentos e tachões a cada um metro, para aumentar a segurança dos ciclistas. Segundo a CET, o Plano de Metas da Prefeitura prevê melhorias em 310 quilômetros de ciclovias existentes. Também devem ser criados 173 quilômetros de novas conexões.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA