UBSs realizam vacinação com doses que sobram

0
740

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Atendimento da UBS Vila Ipojuca foi elogiado por morador

Com a vacinação em território nacional ocorrendo em um ritmo menor que o necessário, com o aumento de casos de Covid-19 e o novo recorde de mortes, que chegou a 2.349 em 24 horas na quarta-feira (10), além da falta de leitos nas redes pública e particular, a busca pelo que ficou conhecida informalmente como “xepa da vacina” tem aumentando também. Isso acontece porque uma vez que os frascos são abertos eles não podem ser guardados por mais de 8 horas na geladeira, já que o imunizante sofre um processo natural de degradação. Tanto a CoronaVac envasada pelo Instituto Butantan, como a vacina Oxford/AstraZeneca, feita em parceria com a Fiocruz, rendem cerca de dez doses por frasco.

Todas as UBSs da região têm realizado o cadastro de moradores interessados em receber as doses que eventualmente sobrarem, mas pedem que a pessoa vá até a unidade com documento, comprovante de residência e cartão SUS para entrar na fila. No caso da UBS Vila Anastácio, a lista de espera já chegou a ter 700 pessoas. Em algumas unidades, usuários afirmam ter sido atendidos pouco tempo após o cadastro. “Fiz inscrição na UBS Vila Ipojuca e na sexta-feira (5) recebi a ligação convocatória. Fomos minha mulher e eu. Tomamos a vacina e temos a segunda dose agendada. Quero ressaltar a delicadeza das atendentes e a alegria delas ao sentir que não desperdiçaram as doses e cumpriram a sua missão de tratar bem as pessoas. Gente fantástica, digna de todos os elogios”, afirma o morador Luís Carlos Kfouri. Tanto Luís como sua esposa Eliani têm 74 anos.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a eventual sobra de doses da vacina no final do dia em qualquer equipamento será priorizada para idosos acima de 60 anos e profissionais de saúde que são moradores da área de abrangência da UBS.

Leitos

Questionada sobre a situação atual dos leitos na cidade, a Secretaria Municipal da Saúde informa que a taxa média de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19 em toda a rede municipal, incluindo equipamentos próprios e contratualizados, alcançou 84% na quarta-feira (10). Para leitos de enfermaria, a taxa média foi de 78%. No Hospital Sorocabana, dos seis leitos de UTI, dois estão ocupados, e dos 49 de enfermaria, 44 estão ocupados. Na sexta-feira (12) foi anunciada, durante uma coletiva de imprensa do prefeito Bruno Covas e do secretário de Saúde Edson Aparecido, a implantação de 20 novos leitos de enfermaria no Sorocabana.

Já na rede particular da região, o Hospital Metropolitano, localizado na Vila Romana, informa que se mantém integralmente mobilizado para fazer frente à pandemia e opera com capacidade de atendimento total, mas não informa o número de leitos e a taxa de ocupação.

O Hospital Albert Sabin, na Lapa, tem 18 leitos de UTI, todos ocupados com pacientes de Covid-19. A unidade conta ainda com 9 leitos na UCO (Unidade Coronariana) que também estão todos ocupados, porém não com pacientes de Covid-19.

Questionada sobre a Unidade Pompeia, a Rede de Hospitais São Camilo afirma que atua de forma integrada nas suas três unidades e, portanto, não é possível divulgar dados de um único hospital, mas relata que a taxa de ocupação dos leitos destinados ao tratamento de Covid-19, na quarta-feira (10), foi de 97% na enfermaria e 94% na UTI.

Cidade inicia fase emergencial de restrição

O governador João Doria anunciou na quinta-feira (11) a adoção de uma fase emergencial de enfrentamento à pandemia. A partir da próxima segunda-feira (15), medidas mais duras de restrição entram em vigor e se estendem até o dia 30 de março para frear o aumento de novos casos, internações e mortes pelo coronavírus. A partir do dia 15 foi determinado toque de recolher em todos os municípios do Estado, entre 20h e 5h. Também fica vetado o acesso a parques e praias. Haverá proibição completa a qualquer tipo de aglomeração e o uso de máscaras deve ser intensificado em qualquer ambiente interno ou externo de acesso público.

As escolas da rede estadual só ficarão abertas para merenda de alunos em situação de vulnerabilidade e para a distribuição de materiais mediante agendamento prévio. A nova restrição proíbe a retirada presencial de produtos em restaurantes e lanchonetes, proíbe o atendimento presencial em lojas de material de construção e veta celebrações religiosas coletivas e atividades esportivas em grupo. Lojas e restaurantes só poderão fazer entregas pelo sistema em que o consumidor recebe o produto dentro de seu veículo (drive-thru), entre 5h e 20h, ou por serviços de entrega na residência (delivery). Não haverá nenhuma restrição ao funcionamento de supermercados. O teletrabalho será obrigatório para todas as atividades administrativas não essenciais. A imposição vale tanto para órgãos públicos como escritórios particulares e serviços de call center.

As medidas dessa fase emergencial visam reduzir a circulação de ao menos 4 milhões de pessoas. Na cidade, a vacinação para pessoas a partir de 75 anos começa na segunda-feira (15), e a partir de 72 anos no dia 22.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA