Moradores tentam impedir remoção de árvore

0
860

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Moradores criticaram remoção

Na terça-feira (16) pela manhã moradores se depararam com um caminhão e equipe da Prefeitura na Praça Senador José Roberto Leite Penteado, na City Lapa. Eles foram informados que seria realizada a remoção de uma enorme falsa-seringueira que fica na praça. Indignados, acionaram a Polícia Militar alegando que a ação seria um crime ambiental.

Com a chegada dos policiais, a engenheira agrônoma da Subprefeitura Lapa que acompanhava a operação apresentou o laudo técnico com autorização para a retirada do exemplar. O documento com assinatura da Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA) aponta que a Ficus elastica possui um porte inadequado para o local que está, é uma espécie invasora em ambiente nativo, apresenta obstrução da passagem, risco de queda e de pane elétrica por conta dos galhos.

Os moradores que solicitaram a remoção também estiveram no local durante a discussão. Eles afirmam que já tiveram grande prejuízo com a perda de aparelhos eletrônicos por causa das frequentes interferências na rede elétrica e que há quatro anos uma parte da fiação caiu sobre seu carro quando estavam entrando na garagem, colocando suas vidas em risco. A queda do cabo danificou a calçada que precisou ser reformada. Alegam também que o exemplar causa insegurança pois pessoas com intenção de realizar assaltos conseguem se esconder atrás da árvore durante a entrada e saída das residências.

No mesmo dia, alguns galhos foram removidos, mas devido ao grande porte da árvore não foi possível realizar a remoção total.

Na quarta-feira (17), vizinhos novamente se reuniram na praça para discutir um plano de ação para impedir a retirada da árvore. “A City Lapa tem esse padrão, com muito verde, e São Paulo precisa disso. Morar na City Lapa é morar com a natureza e tirar proveito disso. Uma poda pode resolver os problemas e manter o padrão de preservação do bairro. Se tirar essa, vão aparecer outras que têm essas mesmas características e aí vão querer tirar todas? A regra não pode ser diferenciada, tem que ser única”, afirma a moradora do bairro e arquiteta Suzana Sanches Lino.

Outro morador afirma ter visto um caso semelhante que foi resolvido com poda na Rua Albion. “Tenho 54 anos e vivi minha vida inteira aqui. Não há necessidade nenhuma da derrubada da árvore que está em um posicionamento fora de interferir com a calçada. A questão dos galhos que cruzam a rua e atingem a rede elétrica pode ser resolvida com poda. Alegar risco de pane elétrica é algo que se aplica a todas as árvores. Vi um caso de uma árvore centenária na Rua Albion onde fizeram uma poda na árvore inteira e agora, um ano depois, é possível ver que ela ressuscitou. Não precisou ser removida e era uma situação de risco maior do que essa”, conta Marcelo Bálsamo. “Não vejo justificativa para tirar uma árvore desse porte, com essa beleza e idade. Precisamos plantar árvores não cortá-las”, diz o morador Jorge Eluf. “Essa árvore realmente não é uma árvore nativa mas foi plantada aqui há muitos anos. Está em uma praça onde não atrapalha com suas raízes, não estourou a calçada e os galhos não interferem com os telhados. E dá para ver que a árvore não está doente e não tem cupim. Não vejo justificada para que seja tirada”, afirmou Carla Banietti, diretora da Assampalba (Associação dos Amigos e Moradores pela Preservação do Alto da Lapa e Bela Aliança).

Na própria terça-feira foi criado um abaixo-assinado pedindo que a árvore não fosse retirada, que agora já conta com mais de 1500 assinaturas. “Ontem tivemos a notícia muito triste que a árvore ia ser retirada totalmente. Nos reunimos e fizemos uma petição que em poucas horas já tinha 500 assinaturas. Precisamos reunir forças para que isso não aconteça. Hoje (quarta-feira) mesmo foi um dia de vitória, ninguém mexeu nela”, relata Sabrina Natividade moradora e autora da petição que está disponível no link (http://chng.it/2LqPV9Ks).

Em nota, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Subprefeitura Lapa, informa que a árvore citada da Praça Senador José Roberto Leite Penteado possui laudo técnico com avaliação para remoção. Parte da copa foi considerada comprometida e com risco de queda. De acordo com a documentação, trata-se de uma falsa-seringueira considerada obstáculo para a área de passeio e espécie invasora. Aponta também que a remoção completa da árvore depende de apoio da concessionária Enel, que já foi acionada, já que parte dela encontra-se próxima à rede elétrica.

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) informa que foi estabelecido o plantio em substituição de quatro mudas arbóreas de grande porte, da lista indicativa de espécies nativas, no mesmo local, o que contribuirá para o aumento da diversidade de espécies e em pouco tempo suprirá com o volume de copa eliminado.

Quanto ao Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp), a Resolução 06/CONPRESP/2013 remeteu à subprefeitura e SVMA a análise sobre o manejo proposto para árvores localizadas em logradouros públicos protegidos pelo citado conselho, dispensando análise do Departamento de Patrimônio Histórico (DPH).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA