Emergência na saúde

0
1032

Parece que a saúde caminha mesmo para uma cura na região. Parece. O prefeito Fernando Haddad passou pela Lapa, na segunda-feira, após uma visita a Subprefeitura de Pirituba, para um almoço com secretários e convidados, entre eles o diretor Ubirajara de Oliveira e a equipe de reportagem do Jornal da Gente. Questionado sobre a reabertura do Hospital Sorocabana, Haddad disse à reportagem do JG que o secretário Municipal da Saúde, José de Filippi Junior, está dando o melhor encaminhamento para que o fato aconteça. Como seu Plano de Metas prevê ampliação do número de leitos na Cidade, quem sabe o processo de reforma para reabertura do hospital da Rua Faustolo vire uma realidade a ser comemorado pela comunidade, em breve. Só para lembrar: o Sorocabana está fechado desde 2010 e a região sofre sem leitos SUS.O governador Geraldo Alckmin também esteve pela região, terça-feira, para o lançamento de um programa de aprimoramento dos diretores e educadores da rede estadual, e mais uma vez o JG cobrou a questão do Sorocabana. Alckmin disse que o hospital está nas mãos do Município, que recebeu o equipamento do governo do Estado (em janeiro de 2012) para colocá-lo em funcionamento. Já o secretário municipal José de Fillippi Junior visitou as instalações do Pronto Socorro da Lapa, quarta-feira, mas não foi só uma vistoria de rotina. Foi para impedir que a Fundação Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que gerencia a unidade, deixe a gestão do PS Lapa. O motivo do descontentamento dos dirigentes da Fundação seria uma série de questões que foram prometidas e não cumpridas no governo anterior, de Gilberto Kassab, como investimento no espaço. O secretário visitou as dependências, conversou com os diretores, com pacientes, e constatou vários problemas como infiltrações e leitos que deveriam ser usados para atendimento de emergência, ocupados com pacientes internados há quase um mês. Filippi confirmou que o PS Lapa está entre as unidades que receberão verbas do Ministério da Saúde para ser transformada em Unidade de Pronto Atendimento (UPA), antes, porém ele terá que fazer um investimento tão emergencial quanto o atendimento prestado no local, para que a Fundação não desista da gestão do PS Lapa e consiga prestar o atendimento de qualidade que deseja e que os usuários esperam receber. Soluções para esses problemas parece que existe, mas é preciso que a comunidade acompanhe e pressione para que tudo aconteça com mais urgência. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA