Sesc recebe espetáculo Medea

0
344

Foto: Murilo Alvesso

Murilo Alvesso
Adaptação do clássico grego pelo dramaturgo Mike Bartlett terá três apresentações

A Cia. do Sopro estreia no dia 26 de novembro, às 21h, o espetáculo Medea do dramaturgo inglês Mike Bartlett. O autor é um dos mais ousados da geração emergente da Europa, e a versão desse clássico grego suscita reflexões sobre a condição da mulher nos dias de hoje.
Bartlett transportou o território e a realidade originais da Grécia antiga a um terreno suburbano localizado em um conjunto habitacional, análogo aos bairros periféricos de cidades grandes ao redor do mundo. “A mulher de nosso tempo é atuante nas diversas esferas da realidade, mas tem seu espaço ainda subjugado pelas forças contrárias à emancipação efetiva de seus direitos e lugar de fala. É por esta vereda e seus meandros que a Cia. do Sopro investiu seu intento e elegeu esta Medea, como uma potência radical capaz de refletir sobre o estado de coisas da condição atual da mulher”, afirma a atriz Fani Feldman.

Com tradução de Diego Teza e direção de Zé Henrique de Paula, a peça tem no elenco Fani Feldman (Medea), Daniel Infantini (Jasão), Juliana Sanches (Pam), Maristela Chelala (Sarah), Plínio Meirelles (Andrew) e Bruno Feldman (Nick Carter). Serão realizadas três apresentações presenciais e, em seguida, a peça segue para temporada online de 29 de novembro a 7 de dezembro. “Um clássico é aquele tipo de obra que nunca para de dizer o que tem para dizer, que se ressignifica o tempo todo, que serve à sociedade de quando foi escrito e, ao mesmo tempo, ao nosso ‘zeitgeist’. Medea é um dos grandes clássicos do teatro grego. A protagonista acuada, traída, vilipendiada, eviscerada por uma sociedade alicerçada pelo machismo estrutural fala integralmente aos dias de hoje. E infelizmente, fala demais ao Brasil de 2021, um país aterrorizado permanentemente por notícias diárias de abuso e feminicídio”, conta o diretor Zé Henrique de Paula.

No enredo, Medea está em depressão após seu marido Jasão ter a deixado por outra mulher mais jovem, e seu filho, Tom, ter perdido a fala. O desamparo dá a ela um ar que mistura poder e impotência. Suas atitudes inspiram empatia e repulsa, uma ambivalência que se reflete na vida real.

As apresentações acontecem na sexta-feira e sábado (26 e 27), às 21h, e no domingo (28), às 18h. O Sesc Pompeia fica na Rua Clélia, 93. A temporada online, de 29 de novembro a 7 de dezembro, terá sessões diárias, sempre às 21h, e os ingressos podem ser adquiridos pelo site Sympla (www.sympla.com.br). Haverá um bate-papo após as transmissões da peça nos dias 29 de novembro e 7 de dezembro. O link do Zoom estará disponível para acesso no canal da Cia. do Sopro no YouTube.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA