São Paulo passa a ter 722 km de vias para bicicletas

0
445

Foto: Arquivo JG

Arquivo JG
Via para bicicletas na Avenida Gastão Vidigal

As ciclovias e ciclofaixas caíram nas graças dos paulistanos, que cada vez mais utilizam as bicicletas para se locomover pela cidade. Com isso, a prefeitura está investindo na implantação de novos trechos por toda a cidade, incluindo alguns que facilitarão o acesso dos ciclistas que vêm da Lapa e da Leopoldina até os bairros de Pinheiros e Butantã, com a conclusão da ciclovia da Ponte Cidade Universitária.

Além dessa, serão entregues a ciclovia do Viaduto Bresser, que conecta as regiões do centro à Mooca, além de trechos das avenidas Nações Unidas e Eng. Alberto de Zagottis, antigas demandas dos ciclistas. Com a conclusão dessas estruturas dedicadas às bicicletas, que perfazem uma ampliação de 23 km, a cidade alcança a marca de 722 km de malha cicloviária.

Há ainda obras em andamento para a implantação dos 27 km restantes das concorrências já realizadas pela Secretaria de Mobilidade e Transportes (SMT). Outros 121 km estão em implantação por meio da PPP da Habitação. E, em breve, será lançada concorrência para a construção de mais 260 km de estruturas, já discutidas com a sociedade por meio de audiências públicas, entre outros instrumentos.

A SMT ainda deixou público para consulta dos cidadãos a proposta para outros 318 km de estruturas cicloviárias (disponíveis Sistema Eletrônico de Informações), que ainda passarão por audiência pública. Dessa forma, a projeção da malha cicloviária já alcança os 1.400 km. O Plano de Metas 2021-2024 traz descrito em seu objetivo 43 a expansão da malha cicloviária paulistana em 300 km, atingindo no quadriênio uma rede total de 1.000 km de extensão. Até 2028, a previsão é que a cidade atinja 1.800 km de vias com tratamento para bicicletas.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA