Conselho Participativo avalia destino de verba de R$ 6 milhões

0
258

Foto: Divulgação

Divulgação
Área na Rua Sepetiba poderá ser permeabilizada

Em reunião bastante concorrida, realizada na segunda-feira, 4, o Conselho Participativo da Subprefeitura Lapa (CPM) deu início à escolha de projeto ou obra na região que receberá aporte de R$ 6 milhões liberados via Decreto Municipal que destina um total de R$ 192 milhões para serem divididos entre as 32 subprefeituras da capital.  No total, o CPM Lapa recebeu da população 31 propostas de intervenções solicitando aporte dessa verba. A reunião da segunda-feira serviu para que as proposituras fossem apresentadas e defendidas presencialmente. Em reunião extraordinária, prevista para segunda-feira, 11, os conselheiros escolherão a obra/projeto a ser beneficiada.  Dentre as indicações se destacaram a obra de requalificação do entorno do córrego Água Branca, no Distrito Barra Funda, e a obra de permeabilização na região da Rua Sepetiba, no Bairro Siciliano.

Na proposta de requalificação do entorno do Córrego Água Branca (Rua Torres da Barra e Rua José Nelo Lorenzon) estão contempladas a contenção das margens; retirada do muro da divisa do Centro de Treinamento do São Paulo Futebol Clube, substituindo-o por gradil; criação de passeios públicos com piso entrevado e espaços de recreação; entre outras intervenções.

No Bairro Siciliano, a sugestão de obra a ser avaliada pelo CPM contempla a retirada de prismas de concreto na região da Rua Sepetiba (entre Rua Cerro Corá e Rua Maipu), substituindo-os por estruturas permeáveis, criação de jardins de chuva, implantação de sistemas para moderação da velocidade de veículos, travessia segura de pedestres e outras modificações.

Pelo Decreto Municipal assinado pelo prefeito Ricardo Nunes, os R$ 6 milhões a que cada subprefeitura tem direito chegam ao subprefeito como verba carimbada, ou seja, não podem ser remanejadas ou utilizadas para outra finalidade a não ser aquela indicada pelos CPMs,  devendo ser empregada em obras estruturais nos bairros e a execução de projetos de diversas naturezas, com a participação direta da sociedade, opinando, discutindo e determinando, por meio do conselho, como este recurso será utilizado em favor da comunidade.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA