Conselho Participativo elege requalificação de área na Água Branca para receber verba de R$ 6 milhões

0
472

Foto: Divulgação

Divulgação
Contenção das margens do Córrego Água Branca faz parte do projeto

Após intenso debate, o Conselho Participativo da Subprefeitura Lapa (CPM) definiu o encaminhamento da verba de R$ 6 milhões, liberada pela Prefeitura para obras nos bairros da região. A proposta vencedora foi a requalificação no entorno do Córrego Água Branca, no Distrito Barra Funda. Foram oito votos favoráveis a essa intervenção, contra quatro votos indicando obras no Parque Orlando Villas Bôas, na Vila Leopoldina, proposta que ficou em segundo lugar. No total, 31 propostas foram submetidas à votação.

Na proposta de requalificação do entorno do Córrego Água Branca (Rua Torres da Barra e Rua José Nelo Lorenzon), onde existe comunidade em situação de vulnerabilidade (Favela do Sapo), estão contempladas obra de contenção das margens; retirada do muro da divisa do Centro de Treinamento do São Paulo Futebol Clube, substituindo-o por gradil; criação de passeios públicos com piso entrevado e espaços de recreação, entre outras intervenções.

O coordenador eleito do CPM Lapa, Márcio Sangean, explica que a proposta vencedora “é uma iniciativa do grupo para beneficiar a região”.

Além do projeto indicado pelo CPM Lapa, o Córrego Água Branca é alvo de plano de intervenção proposto pela Secretaria de Infraestrutura e Obras (SIURB), com a utilização de recursos da Operação Urbana Consorciada Água Branca. Na qualificação do edital para contratação de empresa para realização dos serviços, a SIURB aponta como escopo do projeto obras de drenagem no córrego, projeto de urbanismo e paisagismo, pavimentação da Rua Jose Nelo Lorenzon, entre outras.

Já a conselheira Ana Paula Lima mostrou-se contrária à escolha. “Recebemos informações de conselhos atuantes na área de que já havia intervenções previstas na região através da OUCAB. E, uma das atribuições do CPM é a ação integrada e complementar a outros conselhos, fóruns e organizações da sociedade civil, Então, ignorar as informações trazidas foi um erro”.

Para o conselheiro participativo e presidente da Associação Viva Leopoldina, Umberto Sarti, a proposta de requalificação do Córrego Água Branca foi o mais bem apresentado e justificado. “Toda a proposta foi bem fundamentada e explicada, por isso considerei esse o melhor projeto”, avaliou.

Presente à reunião, o subprefeito da Lapa Luiz Carlos Smith Pepe ressaltou que está acompanhando todo o processo de escolha do projeto para receber a verba municipal, mas sem interferir no debate. “Cabe ao poder municipal acatar a decisão do Conselho Participativo, que é soberano”, explicou.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA