Releitura do Bumba-meu-boi no Cacilda Becker

0
95

Neste final de semana o folclore nacional toma conta do Teatro Cacilda Becker. No sábado, 6, às 21h, e no domingo, 7, às 19h, o espetáculo de dança “Da Cor de Cobre” faz uma releitura poética do auto do Bumba-meu-boi, apresentando estórias encantadas sobre alguns dos personagens existentes nesse folguedo.

Entre eles está Catirina que, ao ficar grávida, passa a ter o desejo de comer a língua do boi mais belo da fazenda. E Pai Francisco, seu marido, que é responsável por cuidar desse boi, por quem tem grande afeição.

Uma forma de imaginar como começou o amor de Catirina e Pai Francisco, e também pensar sobre os desafios desta mulher grávida em comprimir seus desejos para honrar com a confiança que lhe foi dada.

A “Cor de Cobre” também remete ao olhar dos brincantes – o povo maranhense – para o entardecer que dá início à festa, para a terra avermelhada que levanta a poeira com os passos feitos pelos baiantes, a fogueira, essencial para afinar os couros dos pandeirões cadenciando o passo e, enfim, o brincar de toda essa gente.

O auto do Bumba-meu-boi é visto sob um prisma mágico, através de uma brecha entre o mundo real e encantado, no qual Pai Francisco e Catirina podem transitar.

Trata-se de uma homenagem a todos os grupos existentes e resistentes da cultura tradicional brasileira. Uma forma de chamar atenção para o folclore nacional e ressignificar essa manifestação popular, que acontece na rua, utilizando os elementos técnicos da caixa-preta para recriar os ambientes mágicos das estórias.

A entrada é gratuita e o Teatro Cacilda Becker fica na Rua Tito, 295 – Vila Romana.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA