A natureza agradece

0
792

É bem-vinda a iniciativa da Prefeitura de São Paulo de apoiar, no âmbito da região da Bela Aliança, a implantação do chamado Ponto de Entrega Voluntária Monitorado (PEV-M), que, a partir de agora, dá novo impulso à coleta seletiva do lixo no bairro e imediações. O PEV-M em frente ao Pelezão, na Rua Belmonte, recebe lixo plástico, papel, latinhas de refrigerante e cerveja, além de óleo de cozinha. O usuário que chegar ao local para descartar esses produtos receberá a orientação de monitores especialmente treinados para esse fim.
A Prefeitura caprichou nos detalhes do posto: containeres com ótima e alegre sinalização, reforma da área de estacionamento junto ao portão principal do Pelezão e construção de rampa para que deficientes físicos possam participar desse tipo de coleta de lixo.
Não seria de todo estranho que gente de bairros vizinhos, ao conhecer essa iniciativa inédita na cidade, queira ter perto de sua casa ou local de trabalho um equipamento PEV-M, algo que demandará novos esforços por parte do Poder Público Municipal, interessado em evitar que lixo potencialmente reciclável seja encaminhado diretamente para os já esgotados aterros sanitários.
Como existe ao redor desse novo equipamento uma rede de escolas públicas, seria interessante que as Coordenadorias de Educação (Estado e Município) incentivassem os alunos a fazer uso dos containeres.
Desde já, o JG dá total apoio a essa iniciativa e se coloca à disposição dos gestores municipais para formalizar uma parceria, de modo a encontrar a melhor maneira de difundir esse programa junto aos leitores. Afinal, para que o projeto PEV-M dê certo é preciso contar com a adesão permanente da população.
É fundamental que se busque sensibilizar o cidadão não apenas no tocante à coleta seletiva, mas também quanto ao destino e acondicionamento do lixo orgânico. Numa rua como a Carlos Weber (altura do SESI), com alto índice de escolaridade e poder aquisitivo elevado, é inaceitável que síndicos de novos condomínios não tenham ainda providenciado uma maneira adequada para o descarte dos sacos de lixo, que, jogados de qualquer forma junto à sarjeta, agridem o meio ambiente e também a quem passa pelo local.
Devemos, poder público e sociedade civil, caminhar em sintonia ecologicamente correta. Só assim a natureza agradecerá. Somente desta maneira, continuaremos a colher os frutos que ela, generosamente, nos dá.

COMPARTILHE
Próximo artigoPRESTIGIO

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA