Soninha fala de seus planos para a região

0
749

Foto:

Soninha recebeu equipe da Página Editora

A subprefeita da Lapa, Soninha Francine,
recebeu a equipe de reportagem do Jornal da Gente, do Guia Daqui Lapa e
o diretor da Página Editora, Ubirajara de Oliveira, em seu gabinete
para falar de seus planos para a região, na segunda-feira, 26.
Soninha lembrou que algumas coordenadorias (como a de Assistência
Social) que haviam sido descentralizadas com a criação das
Subprefeituras, voltaram para as secretarias. “Existem outros
movimentos nesse sentido, como na (secretaria de) Cultura por exemplo.
Mas é um desafio descentralizar, respeitar as diferenças regionais e ao
mesmo tempo manter uma identidade com o programa da secretaria”.
Para ela, além do poder administrativo e executivo, o subprefeito tem o
papel de negociação junto às secretarias. “O Verde e Meio Ambiente, por
exemplo, nunca foi descentralizado. Agora por uma Lei aprovada no fim
do ano (na Câmara) serão oficializados núcleos regionais de meio
ambiente. Mesmo que não fosse assim, eu tenho que buscar tudo que eles
puderem fornecer para Sub da Lapa”.
Ela promete usar ao máximo sua capacidade executiva direta. “Se a gente
tem capacidade de quebrar o asfalto, eu vou mandar quebrar, mas também
vou usar ao máximo a articulação com as secretarias, porque muitas
vezes se tem o recurso que não é solicitado, e com a sociedade civil
porque a gente depende dela para fazer as coisas acontecerem”.
Segundo Soninha, há menos praças adotadas na Lapa que em outras
Subprefeituras. “Uma das coisas que quero lançar é uma campanha para
que pessoas físicas e jurídicas adotem a manutenção de praças”.

Social

“Posso cuidar das áreas públicas para que não fiquem deterioradas ou
sejam ocupadas indevidamente, mas o acolhimento de população de rua não
é meu. Então volto a minha atuação política de exigir da assistência
social equipamentos para pernoite (albergues), mas não é só isso. É
preciso dar atendimento na área de saúde mental. Não adianta falar em
inclusão profissional para uma pessoa que não tem condições de assumir
um compromisso, porque ela tem problema de alcoolismo, de outras drogas
ou mentais”.

Tombamento

A nova subprefeita disse que entende a importância do City Lapa como
bolsão verde não só para a região mas para a cidade como um todo.
“Existem vários tipos de tombamento. Esse do bolsão, para manter essa
característica original do bairro, eu acho importante desde que a gente
não perca as possibilidades de se fazer intervenções necessárias, como
por exemplo impedir que uma árvore caia em cima de um carro”.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA