Especial JG – 10 anos

0
791

Foto:

Equipe do JG: trabalho num jornalismo engajado e a serviço da comunidade

Dez anos de uma proposta vencedora!
  
No mês de março de 2002, ainda vrão brasileiro, com sua temporada de chuvas, uma das preocupações da comunidade era em relação à dengue. E foi justamente esse o tema escolhido como capa da edição número 1 do Jornal da Gente, que começava a circular pelo bairro da Lapa e adjacências, bem como em parte da Leopoldina. “Jovens na luta contra dengue”, foi a manchete daquela edição, informando sobre evento organizado pelos alunos do Colégio Módulo que tinha por objetivo sensibilizar os moradores da região quanto à prevenção ao ataque do mosquito Aedes Aegypti.

Ao dar seus primeiros passos, o JG, no seu editorial inicial, assim se posicionava quanto ao modelo de jornalismo que resolvera adotar: “Combativo na luta pelas necessidades e anseios de seus leitores junto aos órgãos públicos, cobrando respostas e resultados. Independente, porque não é ligado a nenhum grupo de interesses nem partidos políticos, embora seja político por representar a vontade da comunidade. Aglutinador no sentido de tentar unir entidades. E poderíamos acrescentar provocador, pois também vai provocar debates e discussões sobre temas atuais e polêmicos”.

Ao avaliar a proposta colocada aos leitores no contexto de 10 anos de vida da publicação, o diretor da Página Editora, empresa responsável pelo Jornal da Gente, Ubirajara de Oliveira, lembra que os objetivos traçados foram cumpridos. “Todos os que nos conhecem e prestigiam são unânimes em dizer que somos extremamente exigentes quando cobramos que os poderes públicos se coloquem, efetivamente, a serviço da população”, afirma Oliveira. “Igualmente, a nossa independência é motivo de reconhecimento no plano ético. A maneira ora ousada ora criativa com que nos dispomos a estar junto com as comunidades locais, funcionando como ponte de amizade, também é algo que chama a atenção dos leitores e dos parceiros comerciais. Por fim, no âmbito comunitário e empresarial, as pessoas reconhecem a importância do nosso trabalho na organização de eventos capazes de não apenas informar, mas também de servir como ponto de virada na luta pela cidadania, como foi o caso do Hospital Sorocabana”.

Jornal da Gente: ontem e hoje

[imagem galeria/0000018916_0002.jpg][/imagem]

Na edição número 2, o jornal trazia como manchete uma dúvida. “Esse viaduto pode cair?”, referindo-se à frágil infraestrutura do Viaduto da Lapa, num alerta feito pela então prefeita Marta Suplicy. “E pensar que, passados 10 anos, ainda temos a mesma dúvida que não se restringe aquele viaduto, mas a outras obras como a Ponte dos Remédios e o Viaduto Pompeia, por exemplo”, afirma a repórter do JG,Maria Isabel Coelho, que acompanha atualmente o desenrolar dos fatos envolvendo a interdição do e reforma do viário da Pompeia.

Em março do ano seguinte, um dos destaques ficava por conta da vida em comunidade. A matéria “Parceria garante reforma de quadra”, contava que um trabalho conjunto da Subprefeitura da Lapa, Consabs e Academia Paulistana de Tênis permitiu a recuperação da quadra poliesportiva do CDM City, hoje CDC City. Tanto no passado como no presente, não faltam exemplos de parceria entre moradores, iniciativa privada e o poder público na busca de melhorias nos bairros da gente. Um desses exemplos foi a grande reforma do 7º Distrito Policial.

Já em março de 2005, o assunto era o passivo ambiental da ex-usina de compostagem da Vila Leopoldina, que a Prefeitura tardava a realizar, não obstante a pressão dos moradores que lutavam pela implantação, no local, do parque Orlando Villas Bôas. Como se sabe, em março de 2012, a reivindicação da comunidade continua sendo demanda não atendida.

Gente e comunidade

O associativismo regional, impulsionado pelas ações do Conselho das Associações Amigos de Bairro presidido por José Benedito Boneli foi um dos destaques da edição que circulou no sábado, 18 de março de 2006. A matéria mostrava a comemoração do Dia da Sociedade Amigos de Bairros. Evento que reuniu centenas de dirigentes de entidades de todo o Estado de São Paulo na Câmara Municipal de São Paulo. Um ano depois, Jornal da Gente destacava, o perfil da lapeana Ana Chala, à época com 72. Ainda hoje, as páginas do jornal abrem espaço para valorizar gente da gente.

Não faltaram temas relacionados ao meio ambiente no Jornal da Gente de 21 de março de 2009. Naquele momento falávamos do problema do lixo na região do Mercado, da eleição do Conselho Regional do Meio Ambiente da Sub Lapa (Cades Lapa) e da prometida (e até hoje não cumprida) descontaminação do terreno da SPTrans na Vila Leopoldina. A atenção dispensada pela reportagem a temáticas ambientais ainda é grande.

Por fim, em março de 2011, ao mesmo tempo em que retratava a festa dos seus nove anos, o Jornal da Gente, com um encarte especial, homenageava o líder comunitário José Benedito Boneli, falecido em 24 de março.

Compromisso cumprido

[imagem galeria/0000018917_0001.jpg][/imagem]

Desde que assumi a Prefeitura da cidade de São Paulo, ainda em 2006, faço questão de orientar as respostas – por e-mail, pelo twitter ou pessoalmente, nas agendas administrativas que mantenho praticamente todos os dias nas ruas da cidade – aos cidadãos que me relatam dificuldades cotidianas e que gentilmente também oferecem a mim e à minha equipe sugestões para superar problemas pontuais e históricos. A interlocução com sociedade, sobretudo diante da dimensão de São Paulo, se dá em grande parte por meio da imprensa, que diariamente contribui para que aperfeiçoemos os serviços já existentes e acrescentemos novas prioridades no planejamento da gestão.

E o Jornal da Gente, que faço questão de cumprimentar, e a toda a sua equipe pelo excelente trabalho realizado nesses dez anos, exerce como poucos essa função: representar os anseios e as legítimas reivindicações da comunidade da Lapa e região. Mas, melhor do que reconhecer a excelência do jornalismo praticado pela equipe do Jornal da Gente, é poder compartilhar com os leitores, nesta edição comemorativa, mais uma vitória de todos os moradores desta importante e aprazível região da cidade.

Refiro-me a dois equipamentos de saúde que, muito em breve, serão inaugurados no prédio em que funcionou o Hospital Sorocabana: uma AMA (Assistência Médica Ambulatorial) e uma AMA Especialidades. As duas unidades já estão sendo construídas no local onde funcionava o pronto-socorro do hospital, que, como sabemos, recentemente foi municipalizado e voltará a atender a população ainda neste ano. Com pouco mais de 1.200 metros quadrados de área, a AMA será a maior da cidade. E, além disso, oferecerá a todos Clínica Médica, Pediatria, Ortopedia e Cirurgia Geral. 

A AMA Especialidades estará preparada para atender em oito áreas distintas, entre as quais Oftalmologia, Ortopedia, Urologia, Cardiologia, Endocrinologia, Reumatologia, Neurologia e Angiologia – esta última, especialidade que trata de distúrbios vasculares. Juntas, terão capacidade para realizar até 20 mil atendimentos por mês.

Essa é uma grande vitória para a cidade e, principalmente para a região, que, desde setembro de 2010, quando o Hospital Sorocabana fechou suas portas, passou a contar com apenas um equipamento de saúde municipal para emergências, o Pronto-Socorro da Lapa. A partir daquele ano, o PS tornou-se a única referência municipal em emergência para a região, insuficiente para uma população estimada em 300 mil habitantes.

Todo esse esforço para equacionar a carência de leitos e a assistência de média e baixa complexidades na região da Lapa, no entanto, só está sendo possível graças ao trabalho conjunto entre Prefeitura e governo do Estado. Mas as legítimas reivindicações da comunidade e o empenho do Jornal da Gente foram fundamentais para que atendêssemos, Prefeitura e governo do Estado, o mais rapidamente possível as exigências legais e formalidades administrativas, para recuperar o edifício e iniciar os trabalhos necessários para garantir atendimento médico de qualidade para todos da região.

Autor : GILBERTO KASSAB

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA