Revolução nos trilhos

0
1037

A construção de um novo Plano Diretor Estratégico para a cidade de São Paulo, que segundo o prefeito Fernando Haddad acontecerá ao longo desse ano, coloca a região da Subprefeitura Lapa, com seus 40,1 km², no centro de um debate que comportará várias temáticas. Uma delas é a questão da mobilidade urbana, que leva consigo outras duas vertentes: emprego e moradia, binômio sobre o qual parece haver amplo consenso no  sentido de que o ideal é aproximar cada vez mais  local de trabalho e moradia.Mas a questão básica está situada em dois outros campos: meios de transportes -em particular trem e metrô –  e corredores viários (segredados ou não). Do segundo semestre deste ano  até 2020, ou seja, num arco de sete anos, a CPTM e o Metrô prometem obras de grande impacto nos bairros da Lapa, Alto da Lapa, Lapa de Baixo, Pompeia, Água Branca e Vila Leopoldina.      A Estação Água Branca da CPTM, por exemplo, será totalmente transformada passando a atuar como “hub”, ou seja como centro de transportes intermodais. Aos trens que já passam por aquele circuito irão se somar o metrô (linha Laranja), o Expresso Jundiaí (moderno trem numa importante rota intermunicipal) e, provavelmente, o TAV (Trem de Alta Velocidade), que ligará Campinas-São Paulo-Rio de Janeiro) a uma velocidade de 350 Km/h.A Linha Laranja do Metrô contempla estações nos Distritos da Lapa e Perdizes. Segundo o Estudo e Relatório de Impactos Ambientais (EIA-Rima), documento que viabiliza a obra no campo do meio ambiente, as estações Água Branca e Santa Marina promoverão significativas alterações no uso do solo. O EIA-Rima diz que “com a presença dessas duas estações é provável que haja indução dos usos de comércio/serviços e residênciais verticais, tendendo à redução dos usos industriais”. Em outras palavras: o novo eixo metroviário abrirá caminho para o surgimento de novos negócios.Quadro semelhante de potencialização da atividade comercial pode ser projetada no perímetro Lapa-Lapa de Baixo, com a reforma completa da Estação Lapa da CPTM, unificando a plataforma de embarque e desembarque das duas linhas que passam pelo local. A remodelação desse tronco do modal ferroviário será o primeiro passo para a necessáraia reurbanização de uma ampla área com sérios problemas de deterioração As futuras Audiências Públicas para a elaboração do novo Plano Diretor Estratégico, dentro ou fora da Subprefeitura Lapa, precisam levar em conta essa verdadeira revolução regional no setor dos transportes. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA