Paulo Frange fala sobre projetos em Café com Política

0
2005

Foto: Consuelo Fernandez

Consuelo Fernandez
Vereador desde 1997, Frange responde perguntas da comunidade sobre saúde, educação, voto distrital, urbanização e transporte

O vereador Paulo Frange (PTB) fez um retrato sobre as transformações da Cidade durante sua participação no Café com Política promovido pela Página Editora e Jornal da Gente na terça-feira (6), no Espaço Flores na Varanda. Frange é médico cardiologista, mora e tem consultório na região da Pompeia. Em um momento em que todos prestam atenção à política federal, Frange alerta para os projetos locais e a importância das eleições municipais devido ao impacto que têm na vida dos cidadãos.

O candidato é vereador desde 1997 e busca a reeleição para o sexto mandato. Frange totaliza 81 leis aprovadas, 32 projetos de decretos legislativos, 7 projetos de resolução e ainda 260 projetos em tramitação. Pelo fato de ser médico, Frange é muito ligado à questão da área da saúde e trabalha com projetos para ampliação do atendimento à população como nos casos dos hospitais municipais de Parelheiros e Brasilândia. Sobre o Hospital Sorocabana, desativado há seis anos, Frange falou da importância de lutar por um hospital geral de grande porte na região. “Esse hospital era um modelo, referência no Estado de São Paulo até para a formação de médicos. Tem que ter duas atividades importantes, que é o foco no idoso, e precisamos de uma maternidade na Lapa”, justificou o vereador . “Muitas pessoas que compraram imóveis na Vila Leopoldina com planos de financiamento em 30 anos começam agora a ter filhos em diversos hospitais da cidade por faltar uma grande maternidade na região”.

Sobre a mudança da Ceagesp, o candidato afirmou que, se confirmada, será positiva já que arrecadará dinheiro e permitirá uma nova estruturação do espaço. “Vamos construir um bairro novo, e desses 700 mil m², 40% do terreno será nosso, com 15% (da área) destinada ao viário, 10% a um parque, e 10% dedicado a Zonas Especiais de Interesse Social. O morador do entorno, vai ver um bairro verticalizado, lindíssimo, sem enchente. A iniciativa privada sabe fazer isso bem e rápido”. Frange foi relator da Lei de Zoneamento . Ele prevê que a cidade deve crescer até 2029 no eixo da mobilidade, protegendo áreas residenciais como a da City Lapa e com um comércio mais pujante em outras, de forma a seguir o modelo da Avenida Pompeia e da Rua Clélia. Frange defende o voto facultativo e critica as eleições distritais que, segundo ele, colocariam em risco a qualidade no parlamento para discutir projetos para a cidade.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA