Prefeitura Regional apresenta relatório de serviços de zeladoria

0
1250

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
O coordenador de obras Alexandre Moratore recebe as demandas dos moradores

A última reunião de zeladoria da região foi conduzida pelo coordenador de obras da Prefeitura Regional da Lapa, Alexandre Moratore. Ele entregou aos presentes um documento com o controle de produtividade da Coordenadoria de Projetos e Obras referente aos quatro primeiros meses do ano. Foi informado que nos primeiros meses de gestão foram realizadas 1320 podas de árvores, 271 remoções e 186 plantios de novas mudas. De janeiro ao início de maio foram fechados 1175 buracos nas vias da região, reformados 611 bocas de lobo e realizadas 128 obras e reparos para acessibilidade.

A prefeitura regional também realizou ações como o mutirão de combate à dengue na Vila Leopoldina, abordou moradores em situação de rua no canteiro da Avenida Doutor Gastão Vidigal, em conjunto com a Secretaria de Assistência Social, fez operações do programa Cidade Linda, participou do Lapa em Ação com exames de saúde para a população, e removeu duas árvores que tinham risco de cair, um grande eucalipto da Praça Irmãos Karmann, no Sumaré, e o ficus no Cemitério da Lapa, que há mais de 15 anos estava condenado.

Mesmo com todo o trabalho, moradores levaram diversas queixas, algumas recorrentes, na reunião de zeladoria realizada na quinta-feira (4). Fernando Mourão, presidente da Amocity, cobrou asfaltamento na região da rotatória da Rua João Tibiriçá com a Rua Barão de Itaúna, para que assim a CET possa instalar placas de trânsito no local. Moradores também reclamaram do descarte de material de construção nas ruas Mário e Marcelina, acúmulo de lixo e presença de ratos na estação da CPTM Água Branca e pediram a poda de árvores nas ruas Camilo e Coriolano. Uma moradora reclama de uma calçada danificada ao lado de sua residência, onde funciona um estabelecimento comercial. Ela afirma que o proprietário do imóvel não recebe as multas aplicadas pela responsabilidade do passeio. Uma lanchonete na Rua Ministro Godói, em frente à PUC, foi lacrada. A moradora Gisela Scheinpflug afirmou que o estabelecimento lacrado não incomodava os vizinhos, mas sim os bares lindeiros. “Erraram o alvo por 20 metros”, declara. Alexandre Moratore se comprometeu a levar os temas discutidos na reunião para o prefeito regional Carlos Fernandes para dar encaminhamento às solicitações.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA