Cacilda Becker celebra Dia do Teatro Acessível

0
85

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Evento contou com a presença de secretários e do prefeito regional da Lapa

O Dia do Teatro Acessível foi celebrado pela primeira vez no País no Teatro Cacilda Becker, na terça-feira (19). No local foi realizado um debate sobre políticas públicas de cultura e acessibilidade e também a apresentação do grupo teatral “Os Inclusos e os Sisos”, criado pela ONG Escola de Gente – Comunicação e Inclusão. Com a sanção da Lei 13.442/17, foi determinado que 19 de setembro passa a ser o Dia Nacional do Teatro Acessível, com o objetivo de promover a cultura por meio de atividades cênicas que ofereçam práticas de acessibilidade física e comunicativa para pessoas com deficiência.

Para Patrícia Roggero, coordenadora do Teatro Cacilda Becker, a comemoração teve bons resultados. “Foi especial sermos escolhidos para disponibilizar o nosso espaço para a primeira comemoração do Dia do Teatro Acessível. Com isso, já estão surgindo parcerias para que tenhamos pelo menos uma vez por mês um evento inclusivo”, afirma.

O prefeito regional da Lapa, Carlos Fernandes, prestigiou o evento e afirmou a importância da inclusão nas políticas públicas. “Deve-se ter uma política sólida de inclusão do direito da pessoa que não tem condições. O Estado tem que promover isso, não só com transporte, mas também com cultura. Transformá-los em cidadãos, com inclusão completa e integral”, diz.

O debate contou com a participação do secretário municipal da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, do secretário municipal da Cultura, André Sturm e da jornalista, escritora, consultora especializada em inclusão e fundadora da ONG Escola de Gente, Cláudia Werneck. “É importante ter ações, tanto de cultura, esporte, entre outras, para focar na temática da deficiência de forma lúdica. Isso agrega muito no processo de transformação das pessoas para contemplar um mundo diverso. Para que as pessoas não só tenham direito, mas também possam exercer esse direito”, afirma Cid Torquato. O secretário de Cultura, André Sturm, falou da relação entre cultura e inclusão. “É muito importante abrir espaços, como fizemos aqui com o teatro, para valorizar essas iniciativas. O ponto central é o acesso, e isso inclui as pessoas com dificuldades. Precisamos buscar oportunidades para todos”, diz.

A ação faz parte das atividades do “Setembro de Luta pelos Direitos das Pessoas com Deficiência”.

Bárbara Dantine
O debate contou com a participação do secretário municipal da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, do secretário municipal da Cultura, André Sturm e da jornalista, escritora, consultora especializada em inclusão e fundadora da ONG Escola de Gente, Cláudia Werneck

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA