Obras para implantação de CTA avançam na Lapa de Baixo

1
289

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Terreno da Prefeitura na Lapa de Baixo recebe obras para a instalação do CTA

Apesar da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social não ter realizado o comunicado oficial, a implantação dos CTAs (Centro Temporário de Acolhimento) na região parece avançar. O Diário Oficial da Cidade de São Paulo já anunciou na edição de sexta-feira (29) a contratação de serviços de obras civis e engenharia para a construção e reforma da edificação na Rua Capitão José Inácio do Rosário, 118, onde será colocado o CTA da Lapa.

Quem passar por lá pode ouvir o som dos trabalhadores responsáveis pela reforma. Moradores da Lapa de Baixo produziram um abaixo-assinado com mais de 2000 assinaturas para barrar a implantação da unidade de acolhimento. O documento já foi protocolado no Ministério Público. “Os moradores estão apavorados. Ninguém quer. Sobre o problema social nós queremos ajudar, mas tem muitas pessoas que não querem ser ajudadas. Já temos muitos moradores de rua aqui desde 2006, o que acarretou em problemas de segurança e até agressão a idosos e crianças”, relata a voluntária comunitária Edna Martins. O futuro CTA está próximo a escolas infantis públicas e particulares, além de uma faculdade. Em 2006 a prefeitura tentou instalar um CTA embaixo do viaduto da Lapa, época em que Edna afirma ter aumentado a concentração de moradores de rua em vista do abrigo que seria inaugurado, porém os moradores conseguiram se mobilizar e o equipamento não chegou a ser construído.

Já na Leopoldina, membros do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) foram até o CTA do centro da cidade para investigar como ficou o entorno da região e conversar com comerciantes, a GCM e o coordenador da unidade. “A impressão que se tem é que não tem nenhuma regra aí. Tem samba, faz sujeira, eles passam comida pela grade para quem está fora. Uma pessoa pega três ou quarto (marmitas) e sai distribuindo. Acontece briga aqui na frente, atrapalha a gente, nosso trabalho”, relata um comerciante que afirma que alguns usuários do espaço vendem cobertores e alimentos fornecidos pelo CTA para pessoas que estão fora. O local do CTA na Vila Leopoldina ainda não foi divulgado.

1 COMENTÁRIO

  1. Não vou deixar resposta, porque se eu falar o que gostaria e penso a respeito, serei crucificada e quiçá esquartejada, então …..cala te boca.

DEIXE UMA RESPOSTA