Tendal da Lapa recebe visita da Secretaria da Pessoa com Deficiência

0
59

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Grupo de capoeira do GMJE com Antonia Atsalakis e Severina Eudóxia, da Coordenação de Relações Institucionais da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência

O Centro de Cultura Tendal da Lapa recebeu na quarta-feira (29) a visita de Antonia Atsalakis e Severina Eudóxia, da Coordenação de Relações Institucionais da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência. Lá elas conheceram o trabalho do Grupo de Mães de Jovens Especiais (GMJE), que há sete anos realiza suas atividades no equipamento de cultura. Solange Manzi e Sonia Bonas falaram que sua intenção é oferecer atividades culturais, educativas e lúdicas para as pessoas com deficiência intelectual, que após os 18 anos têm pouca oferta desse tipo de serviço.

Antonia Atsalakis elogiou o equipamento e disse que para melhorar a acessibilidade do local, de forma a aumentar a inclusão das pessoas com mobilidade reduzida, a coordenação pode solicitar junto à Secretaria da Pessoa com Deficiência uma vistoria dos técnicos da Comissão Permanente de Acessibilidade, que irão elaborar um relatório para ser encaminhado à pasta de Cultura para solicitação de recursos para as reformas necessárias. “Quanto mais acessível for, mais pessoas com deficiência física poderão participar das atividades aqui”, diz.

A coordenadora do Tendal, Bel Toledo, afirma que vai manter o contato com a Secretaria da Pessoa com Deficiência. “Combinamos de conversar na semana que vem para estabelecermos uma parceria e encontrar soluções para a acessibilidade do Tendal. O Tendal continua também com essa pauta, justamente  por isso tem o atendimento do Grupo de Mães de Jovens Especiais e faz parte do projeto Lapa 21, em  parceria com a Prefeitura Regional da  Lapa”, afirma.

Sobre as dificuldades de acessibilidade nos banheiros, Bel Toledo afirma que uma equipe da Secretaria Municipal de Cultura já fez a manutenção de uma unidade e que foi solicitado o mesmo serviço para as outras, mas ainda sem previsão sobre o início da obra. Ao ser questionada sobre o atual acesso de cadeirantes, Bel Toledo afirma que o local ideal e mais seguro é através da rampa na entrada da Rua Guaicurus, 1100. Porém, por ser um local de corredor e ponto de ônibus, membros do GMJE defendem que a entrada seja feita pela Rua Constança, que tem pouca movimentação de veículos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA