Sede do Clube Nacional é tombada

0
759

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Campo do Nacional durante partida beneficente do jogador Jô (Corinthians)

O Nacional Atlético Clube, localizado na Avenida Marquês de São Vicente, teve sua sede tombada pelo Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio). O tombamento foi decidido a partir da decisão dos conselheiros presentes na reunião realizada em 2 de outubro e publicada no último dia 29. Com o entendimento de que o Estádio Nicolau Alayon integra a memória de uma tradição operária de clubes de futebol ligados a fábricas e empresas, o conselho definiu que deve ser preservada a arquibancada coberta, com possibilidade de adaptações necessárias à acessibilidade e segurança do público, e o campo de futebol, em seu posicionamento em relação à estrada de ferro e à arquibancada coberta. O Conpresp também declara que quaisquer projetos que contemplem intervenções na área no lote tombado devem ser previamente submetidos à análise do Departamento do Patrimônio Histórico (DPH) e à aprovação do Conpresp.

A decisão põe fim às discussões especulativas sobre o interesse imobiliário na área e é considerada uma vitória para a comunidade. Edson Domingues, torcedor do time nascido na Vila Anglo e especialista em Patrimônio Cultural fala da importância da decisão. “Preserva parte importante da história dos operários ingleses e da Lapa. Eles vieram construir a ferrovia e, como no sábado e domingo não tinham o que fazer, quiseram praticar o soccer, então nasceu o São Paulo Railway Athletic Club. É importante para as presentes e futuras gerações”, declara. Ayrton Santiago, presidente do clube, diz que a decisão já era esperada. “Nossos projetos já levavam em consideração manter isso aí. Vamos fazer outras arquibancadas no mesmo estilo, mas mais modernas”, afirma.

Charles Miller, considerado o “pai” do futebol no Brasil, foi protagonista da primeira partida de futebol no país, realizada em 1895, entre o seu time, o São Paulo Railway Athletic Club, e o dos funcionários da São Paulo Gas Company. A partida foi disputada na Várzea do Carmo, e os empregados da empresa ferroviária venceram por 4 a 2. O clube participou do seu primeiro Campeonato Paulista em 1936, onde obteve a nona colocação. Já em 1939,conquistou sua melhor colocação no campeonato, com o quarto lugar, atrás de Corinthians, Palestra Itália (hoje Palmeiras) e Portuguesa, além de ter o terceiro melhor ataque. Com o fim da concessão de serviços da empresa no Brasil, em 1946, e a nacionalização da estrada de ferro, a agremiação ganhou o nome de Nacional Atlético Clube, mas manteve as cores originais azul, vermelho e branco, em alusão à bandeira da Inglaterra. Este ano o Nacional foi campeão da série A3 do Campeonato Paulista.

O pedido de tombamento do estádio inaugurado em 1938 foi feito pelo vereador Juscelino Gadelha (na época do PSDB), em 2005. Gadelha também é autor de outros pedidos de patrimônio cultural, entre eles o do sotaque da Mooca, do prato virado à paulista e o clássico do futebol Corinthians x Palmeiras.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA