Lapa recebe mais de 75 mil pessoas nos blocos

0
423

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Bloco do Adorno desfilou no sábado (10) pela Praça Cornélia e entorno

Os quatro dias de folia do carnaval na Lapa contaram com 50% mais pessoas do que no pré-carnaval. No final de semana dos dias 3 e 4, cerca de 50 mil pessoas passaram pela região. Já durante o feriado esse número aumentou para 75 mil. Nove blocos desfilaram pelas ruas da Lapa, como o Bloco do Adorno, que teve que esperar para sair por conta da chuva de sábado (10). O desfile também foi interrompido duas vezes quando crianças se perderam dos pais. O bloco parou até os responsáveis encontrarem os filhos. O D-Rrete levou música eletrônica para um público estimado de 45 mil pessoas em três desfiles, nos dias 12 e 13, na Alameda Olga. Fiscais orientaram o público para transferir o conteúdo de garrafas de vidro para recipientes de plástico e assim evitar acidentes.

As crianças se divertiram no bloco Gente Miúda, na Avenida Professor Alfonso Bovero, e o Acadêmicos do Cerca Frango atraiu cerca de oito mil pessoas para a Pompeia. Também desfilaram o Siga La Pelota, Cordão Cheiroso, Sem Saída, Saia de Chita e o Bloco Zélia, Cássia, Rita, Carolina e Todas as Minas. Para Carlos Fernandes, prefeito regional, os eventos foram um sucesso. “Todos os desfiles ocorreram com tranquilidade, sem nenhuma ocorrência grave. Agradeço muito a colaboração de todos os organizadores de blocos, que mantiveram o diálogo aberto com a nossa gestão e se adequaram sempre que solicitados. Agradeço também cada funcionário que atuou nestes quatro dias. Só por causa do trabalho de cada um tudo isso foi possível”, afirma.

A Prefeitura Regional da Lapa dispôs de mais de 30 agentes da equipe de apreensão e a limpeza foi realizada por cerca de 50 funcionários da Inova em cada dia de evento. Foram coletadas entre oito e doze toneladas de lixo por dia e realizadas 24 apreensões.

Proibição

A polêmica em relação ao bloco “Porão do Dops” se estendeu durante o carnaval. Os organizadores pretendiam desfilar na Rua Faustolo, no sábado (10), mas o Ministério Público entrou com uma liminar para impedir o evento por apologia à tortura. A juíza Daniela Conceição, da 39ª Vara Cível, negou o pedido, com o entendimento que uma limitação prévia fere a liberdade de expressão. Os organizadores afirmaram que realizariam o evento  em um local privado e sem divulgação, caso contrário estariam sujeitos a uma multa de R$ 50 mil, após liminar do Tribunal de Justiça que proibiu a divulgação nas redes sociais e a realização do evento em espaços públicos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA