Lu Alckmin ganha festa surpresa na Lapa

0
287

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Amigos e membros da Associação dos Trabalhadores Sem Terra na Lapa de Baixo

A ex-primeira dama de São Paulo, Lu Alckmin, foi homenageada na quinta-feira (12), dia de seu aniversário, na Associação dos Trabalhadores Sem Terra, na Lapa de Baixo.

Participaram do evento o deputado estadual Marcos Zerbini, o vereador Fábio Riva, o prefeito de Santa Lúcia Luiz Antônio Noli, o prefeito e a vice-prefeita de Novo Horizonte Toshio Toyota e Bete Baleiro, o vereador de Jaboticabal Daniel Rodrigues, o vereador de Planalto Alessandro Bomfim e os vereadores de Tambaú Fernando Viana e Valter Bezerra, além de outros amigos da Lu Alckmin. “Para a gente é um prazer muito grande. É aniversário da Dona Lu e todo ano ela me convida para ir ao palácio e agora eu a convidei para vir ao nosso palácio. Palácio porque é aqui que a gente recebe as pessoas que gosta, as pessoas que têm o sonho de ter uma casa, uma faculdade. A Dona Lu é uma amizade antiga nossa e uma pessoa que gostamos muito”, afirma Cleusa Ramos, presidente da Associação dos Trabalhadores Sem Terra.

Lu Alckmin agradeceu a festa surpresa. “Tínhamos combinado de passar aqui, pegar a Cleusa, que é uma amiga de tantos anos, para sair para comer alguma coisa. Quando eu chego aqui, abro a porta e tem todo esse pessoal, amigos, pessoas qualificadas, dos projetos sociais, o padre Rosalvino, toda a turma da Roda da Luz, é o maior presente que eu poderia receber no dia do meu aniversário, as pessoas que moram no meu coração”, declara.

Fábio Riva e Marcos Zerbini falaram da relação com a ex-primeira dama. “É uma alegria receber a Dona Lu Alckmin aqui, não como ex-primeira dama do Estado, presidente do Fundo Social, mas como amiga. Construímos uma relação de amizade com ela ao longo dos anos, de muito carinho e a gente gosta de gente que tem um coração do tamanho que ela tem. É bom poder comemorar com uma amiga uma data tão importante que é o aniversário”, diz Zerbini. “A Dona Lu é amiga da associação e madrinha dos cursos profissionalizantes. Quando era presidente do Fundo Social de Solidariedade ela abraçou nosso movimento de qualificar as pessoas, com cursos de panificação, de beleza e construção civil. Hoje aqui é um prazer imenso recebê-la na nossa sede na Lapa de Baixo, é um prestígio ao nosso trabalho. A gente precisa qualificar as pessoas não com trabalho assistencial, mas com trabalho social. As pessoas têm que ser protagonistas de sua própria história e a Dona Lu entende o ser humano dessa forma, por isso que ela chama a Dona Cleusa de madrinha, porque foi a Dona Cleusa que a levou nas comunidades para mostrar que as pessoas não precisam de cesta básica, precisam de oportunidades na vida”, declara Riva. Após a surpresa, a associação realizou um almoço para os presentes.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA