Vila Leopoldina recebe São Paulo Fashion Week

0
4554

Foto: Divulgação

Divulgação
Espaço Arca tem capacidade para sete mil pessoas e será palco da SPFW

A Vila Leopoldina recebe na próxima semana, entre os dias 22 e 26 de outubro, a 46ª edição da São Paulo Fashion Week, o maior evento de moda do Brasil. O local escolhido foi um galpão pertencente à Votorantim, onde antes funcionava uma indústria metalúrgica, na Avenida Manuel Bandeira, nº 360.

Com o nome de Espaço Arca, o empreendimento foi desenvolvido pela NÓS Consulting com o objetivo de receber diversos eventos. “Sabíamos da carência que São Paulo tem de espaços como este, amplos, com pé-direito alto, para a realização de eventos. Foi essa busca que nos levou à Arca”, afirma Mauricio Soares, um dos sócios da NÓS Consulting. “Da mesma forma que a indústria metalúrgica que ali existia simbolizou a transformação industrial de São Paulo em meados do século passado, queremos que a Arca seja catalisadora de uma transformação criativa da região”, completa.

A estrutura tem capacidade para sete mil pessoas, com a possibilidade de uma ampliação futura para receber até quinze mil. A SPFW, em cinco dias de evento, chega a receber cerca de 45 mil visitantes. O tema desta edição é “Tran[SP]osição”, a ressignificação de territórios pela criatividade e inovação. Na apresentação do evento consta o manifesto de que “com um legado de 45 edições responsáveis pela organização do calendário e projeção da criatividade e capacidade brasileiras para o mundo, o SPFW se coloca frente ao desafio de se colocar agora na transformação da cidade. O evento ocupa o galpão Arca na Vila Leopoldina, Zona Oeste de São Paulo, se conectando concretamente com a visão de nutrir na região um polo de reverberação de criatividade e inovação”. Além dos desfiles, o espaço receberá também o Projeto Estufa, com workshops, palestras e aulas sobre o mercado, inovação, tecnologia, sustentabilidade e outros temas ligados à moda e criatividade.

Essa ressignificação da Leopoldina, citada pelos organizadores da SPFW e responsáveis pelo empreendimento, já é tema de debate antigo entre moradores e comerciantes da região, seja pela discussão da possível mudança da Ceagesp do bairro ou por conta do Projeto de Intervenção Urbana (PIU) Leopoldina, da Votorantim, que prevê a construção de novos empreendimentos, de habitação de interesse social para as comunidades do entorno da Ceagesp e um processo de reurbanização no bairro.

Para Umberto Sarti, presidente da Associação Viva Leopoldina (AVL), receber o evento de moda na região é positivo. “Hoje a Vila Leopoldina passa por um processo de transformação, de um bairro industrial, com barracões empresariais, para um bairro de condomínios. Esse evento, da SPFW, vem agregar valor para a Leopoldina, junto à essa transformação. Hoje temos aqui também exemplos da indústria cinematográfica, com produtoras e estúdios, temos restaurantes de alta gastronomia, novos comércios, novos condomínios. A SPFW é um dos eventos mais importantes da América Latina, e uma das maiores semanas de moda do mundo, depois de Paris, Milão, Nova York, e ter isso aqui vai tornar a Leopoldina conhecida no mundo também. A AVL vê isso com bons olhos e parabeniza o Paulo Borges por essa atitude. A Leopoldina tem muito a crescer e mudou muito em relação ao que era cinco ou seis anos atrás”, diz. Sarti também cobra que os serviços de zeladoria na região sejam feitos de forma contínua. “O serviço de zeladoria não pode ser executado pela Prefeitura somente para este evento, não pode jogar a sujeira para debaixo do tapete. Tem que ser feito de forma contínua, pois a comunidade que mora no bairro, que paga impostos, merece esse serviço. Estranha essa atitude da Subprefeitura da Lapa de trabalhar somente em eventos especiais”, completa. A Subprefeitura da Lapa informa que as ações de desobstrução de calçadas e recolhimento de materiais são operações de rotina das equipes de zeladoria na Vila Leopoldina.

O Fórum Social Leopoldina pede atenção à população vulnerável do território. “Acompanhamos de perto toda a movimentação na região da Avenida Manuel Bandeira por conta da inauguração do novo espaço de evento, a Arca, do grupo NÓS Consulting, em galpão alugado do grupo Votorantim. Assim que soubemos dessa iniciativa, solicitamos reunião com os gestores do projeto de modo a conhecer melhor a proposta da Arca. Entendemos a Arca como uma ação empreendedora potencialmente capaz de antecipar o fomento daquela região destinada a se transformar radicalmente caso o PIU Leopoldina se transforme em Lei. Por se tratar de empreendimento no centro de uma região de vulnerabilidade social, pontuamos aos gestores que a Arca não pode dar as costas a esse situação, havendo a necessidade de abertura do espaço para atividades inclusivas. Nesse sentido, deixamos aos gestores um leque de sugestões visando à interação das comunidades Linha, Nove e Cingapura com a Arca”.

População em situação de vulnerabilidade

Bárbara Dantine

Na quarta-feira (17), poucos dias antes da SPFW, quem passou pela Avenida Manuel Bandeira pode ver os trabalhadores terminando a obra no galpão que receberá o evento. Já no quarteirão de trás, na Rua Silva Airosa, equipes da Prefeitura, apoiadas por uma viatura da PM, realizavam uma ação de zeladoria, desobstruindo calçadas e desfazendo barracos do local.

Questionada sobre a ação, a SMADS informa que orientadores socioeducativos realizam, diariamente, busca ativa e monitoramento do perímetro na Vila Leopoldina, e oferecem encaminhamentos para acolhimento. No entanto, ressalta que compete ao morador em situação de rua a decisão de aceitar ou não o auxílio.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA