Bruno Covas assina autorização para início de obras da ponte

0
1244

Foto: Divulgação

Divulgação
Covas assina autorização da obra com presença de parlamentares e secretários

O prefeito Bruno Covas assinou na segunda-feira (13) a autorização para o início da primeira etapa das obras do Complexo Viário Pirituba-Lapa, uma ponte com 900 metros de extensão que ligará os dois bairros passando sobre o rio Tietê.

O valor do contrato, incluindo as obras viárias e de drenagem, é de R$ 200 milhões. Com os gastos previstos com desapropriações, enterramento de redes, compensações ambientais, gerenciamento e fiscalização da obra, o valor total do empreendimento está estimado em R$ 386,5 milhões.

Segundo Covas, os recursos já estão garantidos. “Desde o ano passado nós começamos a organizar os recursos dos fundos municipais e assim conseguimos o valor para garantir esta obra até seu término. Um compromisso grande desta gestão para construir o sonho dos moradores desta região e melhorar a qualidade de vida de todos eles”, afirma o prefeito. “Essa foi uma das poucas, se não a única promessa de obra durante a campanha em 2016. É uma luta de muitos anos daquela população e vai melhorar muito a qualidade de vida dessas pessoas. Em três semanas no máximo estaremos lá para iniciar a obra”, promete Covas. Os recursos serão do Fundurb e Fundo Municipal de Desenvolvimento de Trânsito. Covas afirma que se tiver a venda de Cepacs dentro da Operação Urbana Consorciada Água Branca, após aprovação na Câmara Municipal da revisão do Projeto de Lei, os recursos serão utilizados na ponte e os fundos municipais passam a ser disponibilizados para outras obras da cidade.

A ponte é uma demanda de mais de 40 anos dos moradores e terá início na Avenida Raimundo Pereira de Magalhães. Serão implantadas mão dupla, ciclovia e faixa exclusiva para ônibus. A Prefeitura estima que cerca de 115 mil pessoas utilizarão a nova via diariamente.“Esta é uma ligação fundamental, por conectar novamente o bairro de Pirituba à cidade de São Paulo, além de fazer com que a população demore menos tempo para fazer esse deslocamento. Portanto, é importantíssimo do ponto de vista econômico e financeiro para a região”, explica o secretário de Infraestrutura Urbana e Obras Vitor Aly.

Durante as audiências públicas sobre o projeto da ponte, realizadas em 2017, moradores da região se mostraram apreensivos por conta do trânsito que poderia gerar na Vila Anastácio, que é um gargalo de saída do bairro da Lapa para a Marginal Tietê. O projeto foi remodelado e, além da construção da ponte, será feita a implantação de três quilômetros de ligação viária, com três faixas de circulação em ambos os sentidos. O trecho da Avenida Raimundo Pereira de Magalhães será alargado e receberá melhorias em toda a sua extensão. “Tem que fazer a ponte porque nós estamos em uma situação complicada. De manhã chega a demorar uma hora para passar pelo túnel do quartel. Além da ponte, precisa fazer aberturas para não ficarmos ainda mais ilhados na Vila Anastácio. A cada dia vêm moradores novos para cá e teve muito investimento com esses novos condomínios, mas não veio nada de infraestrutura. Temos problemas com a falta de água e energia. Estamos torcendo que com a construção da ponte comecem a ver outras necessidades do bairro”, afirma Joaquim Baldoíno, morador da Vila Anastácio.

A Prefeitura prevê a construção de uma passagem inferior sob a linha férrea da CPTM, com faixas para veículos, ônibus, passeio para pedestres e ciclovia. Também estão previstas a construção de um binário de acesso ao Terminal Lapa e obras de 900 metros de galerias de drenagem para garantir a captação adequada das águas pluviais. “A Prefeitura foi sensível ao nosso pedido, não só meu, mas de outros vereadores que ali trabalham. É uma luta de muita gente, mas o mérito é todo do prefeito, que teve coragem de usar recursos do tesouro para uma obra tão importante”, afirma o vereador Fabio Riva. A Prefeitura estima que os usuários do transporte público terão suas viagens encurtadas em até 36 minutos por dia enquanto os motoristas ganharão cerca de 15 minutos. A obra será de responsabilidade da SP Obras. A previsão é que a ponte seja concluída até o final de 2020 e o corredor de ônibus que passará sobre ela até o final de 2021.

Reprodução
Projeto desenvolvido pela SP Obras que é responsável pelo empreendimento

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA