Matarazzo participa de café a convite de associação

0
630

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Andrea Matarazzo fala sobre questões da região com moradores e entidades

Andrea Matarazzo esteve na região para um café da manhã com moradores, representantes de entidades e dos Conselhos Comunitários de Segurança (Consegs) da Lapa e Vila Leopoldina. O evento foi organizado pela Amocity (Associação de Moradores do City Lapa) e realizado no estúdio da artista plástica Angela Saragiotto, a Tia Angela, na segunda-feira (15).

Durante o bate-papo foram abordados temas que impactam os distritos da Subprefeitura Lapa. “O encontro com Andrea Matarazzo foi muito importante, pois foram abordados temas críticos da região, como a questão da zeladoria, dos alagamentos, manutenção de ciclovias, Ceagesp e ordenamento urbano (PIU), bem como questões macro como orçamento, transporte público, IPTU e regularização fundiária. Ouvir os moradores e as associações de bairro é algo extremamente positivo para um futuro candidato a prefeito, que se mostra capacitado a responder os anseios dos presentes no encontro”, afirma Carlos Alexandre da Associação Viva Leopoldina (AVL).

Matarazzo também falou sobre o trabalho de um prefeito. “É um cargo totalmente sem glamour. Tem que trabalhar 24 horas por dia, que nem zelador, e não dá para agradar mais de 10 milhões de pessoas”, afirma. Matarazzo conversou sobre o impacto do aumento do IPTU para moradores e comerciantes e sobre os serviços prestados pela gestão atual. “A limpeza pública hoje é feita de uma forma de quinta categoria. Não é falta de dinheiro porque o serviço já está pago, é falta de fiscalização”, diz.

Além de falar sobre questões específicas como os alagamentos na Toca da Onça, tombamento, poda de árvores e conserto de calçadas, Matarazzo afirma que a segurança da cidade está diretamente ligada à zeladoria. “A segurança não é só do governo do estado, é da prefeitura também, porque onde tem desordem urbana tem problema de segurança. Se você pegar o mapa de iluminação de São Paulo e botar em cima do mapa do Infocrim, tem mais estupros e roubos em áreas escuras. A iluminação tinha que ser de LED, isso está atrasadíssimo, e ainda, as luzes antigas estão todas cobertas pelos galhos das árvores, algo que deveria ser resolvido de imediato”, declara.

Está prevista a realização de outros encontros na Amocity. “A Lapa é uma das regiões mais politicamente ativas e esse café foi um exercício de cidadania”, afirma Jairo Glikson, do Conseg Leopoldina.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA