Diretor do JG participa de fórum sobre jornalismo comunitário

0
518

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Ubirajara de Oliveira (D) e demais convidados do painel “Comunicação que cria laços”

O CECOM – Centro de Estudos da Comunicação e a plataforma Negócios da Comunicação realizaram na terça-feira (3) a segunda edição do Fórum de Jornalismo Regional e Comunitário, com o tema “A comunicação que cria laços”, na Unibes Cultural. O objetivo do evento foi discutir o jornalismo local, em um contexto de falta de credibilidade na esfera nacional e busca por uma nova forma de negócio, com a queda generalizada de recursos vindos da publicidade e crise econômica no País. “O jornalismo regional é aquele que impacta diretamente a vida das pessoas. Precisamos de uma imprensa forte, independente e responsável”, declarou Márcio Cardial, publisher da plataforma Negócios da Comunicação e diretor geral do CECOM.

Foram organizados quatro painéis temáticos, sendo que o primeiro foi o “Digital First e a contribuição das plataformas digitais para o trabalho jornalístico”, com participação de Carlos Aros, diretor de conteúdo da Jovem Pan News, Gustavo Poloni, diretor de parceiras de notícias do Twitter para a América Latina, Maíra Carvalho, gerente de parcerias estratégicas de mídia do Facebook e Rafael Corrêa, head de comunicação do Google Brasil, com mediação de Carlos Costa, professor do programa de mestrado em comunicação da Cásper Líbero.

O segundo painel, “Comunicação que cria laços”, contou com a participação do diretor do Jornal da Gente e Página Editora, Ubirajara de Oliveira, ao lado de André Azeredo, apresentador do SP no Ar da Record TV, Cíntia Moreira Gomes, cofundadora e editora da Agência Mural da Periferia e Marco Antonio Sabino, secretário especial de comunicação da Prefeitura de São Paulo, com mediação de José Geraldo de Oliveira, professor da Unip e consultor da TV Cultura. “Esses laços estão muito fracos. Antigamente eles eram construídos, levava tempo e havia necessidade de compartilhar muita informação para criá-los, além de uma história e cultura comum. Temos que celebrar os avanços e as novas tecnologias, mas não podemos abandonar o espírito crítico e a desconfiança. Hoje, aqui, vamos conversar e ver se iniciamos um processo de pensar o que estabelece os laços, que eu acredito ser algo que precisa de tempo, informação de qualidade, compartilhamento, confiança e convívio”, afirmou Ubirajara de Oliveira sobre as mudanças na forma de se comunicar após o advento das mídias sociais, grupos nos celulares e internet.

O secretário Marco Antônio Sabino falou sobre o trabalho da Prefeitura de se aproximar de veículos de bairro. “Independente do formato da mídia, a verdade é o que importa. Às vezes deixamos de divulgar algo, mas apenas quando as informações estão incompletas. Em uma cidade como São Paulo temos milhares de pessoas acompanhando o nosso trabalho, então temos que focar no óbvio, que é a honestidade e a verdade. O jornalismo comunitário ganha uma importância cada vez maior, com veículos que chegam ao público de cada local”, declara.

Também foi realizado o painel “A comunicação regional: voz ao cidadão do interior”, com Aline Origuela, gerente de Jornalismo da TV Tem Sorocaba, Aline Pagnan, coordenadora das edições online do Jornal da Região de Jundiaí, Cleber Mata, secretário de comunicação do Governo do Estado de São Paulo e João Jabbour, diretor de redação do Grupo Cidade – Jornal da Cidade de Bauru, JCNet e rádio 96FM, com mediação de Marcelo Santos de Moraes, professor da Faculdade Cásper Líbero e consultor, e o painel “Comunicação com foco no local”, com Ana Maria Coluccio, editora do jornal São Paulo Zona Sul, Filomena Salemme, jornalista, especialista em podcasts e professora, Jeferson Martinho, diretor do Portal Visão Oeste de Osasco e José Carlos da Rocha, presidente do Fórum Democracia na Comunicação, com mediação de Antonio Assiz, coordenador do curso de Jornalismo da Universidade Cruzeiro do Sul e sócio da produtora de vídeo Aramá Comunicações.

O jornalista e professor titular da ECA-USP, Eugênio Bucci, realizou a palestra “Por que o Brasil precisa da imprensa – mais do que nunca”, ressaltando a importância de fiscalizar o poder público para garantir a democracia no País. Também foi feita uma homenagem à Associação Nacional de Jornais, ANJ, pelos seus 40 anos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA