Allianz Parque cria canal de comunicação com vizinhos

0
656

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Reunião do Conselho Comunitário de Segurança de Perdizes/Pacaembu

Representantes do Allianz Parque participaram da reunião do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) de Perdizes/Pacaembu, na terça-feira (17), onde apresentaram o Programa Bom Vizinho. “Sabemos do impacto que o estádio causa e por isso queremos melhorar o relacionamento com os moradores da região. Abrimos a arena para idosos fazerem exercícios de forma gratuita e realizamos a ação chamada Tour Social, onde trazemos crianças de escolas públicas para conhecer o estádio. Abrimos também canais de comunicação com a população para receber sugestões, dúvidas e reclamações. Um orientador do projeto estará presente nos dias de evento para auxiliar na organização”, explicou Ricardo Levy da área de comunicação do Allianz Parque.

O projeto começou no ano passado, com um mapeamento do entorno para entender a percepção da comunidade. Nesse estudo, vizinhos identificaram pontos positivos do Allianz Parque, como a geração de emprego e oferta de cultura na região, e negativos, como a falta de comunicação e divulgação prévia das agendas, uso de fogos de artifício, emissão de ruído excessivo, comércio ilegal, alternativas melhores para o trânsito e sujeira nas ruas após os eventos.

Em abril deste ano foi implantado o canal do vizinho, com o telefone (11) 94248-0420 que realiza o atendimento de segunda a sexta-feira das 10h às 12h e das 14h às 18h, e em dias de evento duas horas antes da abertura dos portões até o término do show ou jogo, e e-mail bomvizinho@allianzparque.com.br. Os contatos servem para o auxílio e orientação de moradores do perímetro do estádio. Nos casos de emergência é preciso acionar as autoridades como Polícia Militar, Bombeiros, SAMU, entre outros.

Em agosto, o show da dupla Sandy e Junior foi o primeiro espetáculo realizado na arena que contou com a presença de orientadores do Programa Bom Vizinho, identificados com um colete branco.

Outra ação que já está em andamento dentro do programa foi a criação de uma lista de e-mails, onde é informada toda a programação do mês e, na semana do evento, os moradores são avisados sobre a hora de fechamento da rua e abertura do estádio. Futuramente, a ideia é criar um cartão de identificação dos vizinhos para facilitar o acesso de veículos nas áreas de bloqueio. Outros compromissos da arena são a abertura dos portões quatro horas antes dos shows e duas horas antes de jogos para as pessoas entrarem mais rápido, restrição de fogos de artifício com estampido, retirada das grades uma hora após o fim do evento e interlocução com a Amlurb para a limpeza das áreas externas.

A reunião do Conseg também contou com uma apresentação do Capitão Rafael Telhada sobre o Programa Vizinhança Solidária, com dicas de como minimizar riscos e aumentar a segurança ao entrar ou sair de casa e em lugares públicos. Moradores cobraram da Subprefeitura Lapa uma solução para as pessoas que se instalaram no terreno da antiga usina de asfalto da Barra Funda e pediram à CET que apresentasse um estudo de impacto de trânsito após a abertura de uma escola, que ainda está em fase de obras, na Avenida Sumaré.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA