Conselheiros cobram esclarecimentos sobre mudança de laboratório

0
346

Foto: Bárbara Dantine

Bárbara Dantine
Reunião do conselho gestor da Supervisão Técnica de Saúde Lapa/Pinheiros

Os conselheiros da Supervisão Técnica de Saúde (STS) Lapa/Pinheiros se reuniram na quarta-feira (25) na Biblioteca Mário Schenberg. Um dos assuntos discutidos foi a mudança de endereço do laboratório de exames que hoje está no complexo do PS da Lapa.

A supervisora Maria Rosália da Silva explicou que o laboratório pertence à Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) Oeste e atende os equipamentos da Lapa, Pinheiros, Butantã e também as unidades da CRS Centro, com exames e análises clínicas. A coordenadoria identificou problemas no prédio onde o laboratório está hoje, uma área aproximada de 350 m², e realizou uma reforma da parte elétrica. Com a necessidade de intervenções também na parte estrutural, seria preciso retirar todos os equipamentos, sem auxílio de um elevador, e interromper os serviços por quase um mês.

A coordenadoria identificou a oportunidade de mudar o laboratório para uma estrutura de cerca de 800 m² no Bom Retiro, com instalações elétricas adequadas, elevador, entre outras necessidades, e iniciou a mudança do laboratório. Os serviços para a população não foram interrompidos durante a mudança, com a realização das análises pelo laboratório da CRS Sudeste durante esse processo. A logística de coleta de materiais também permaneceu a mesma, sendo realizada nos próprios equipamentos de saúde. É esperado que, com a mudança, o laboratório possa melhorar e ampliar os serviços. O novo prédio fica na Rua Jaraguá, 858, onde funcionava a base administrativa do SAMU.

Quanto a área ocupada atualmente pelo laboratório, no PS da Lapa, ainda não foi definido o que será feito no local. Os conselheiros criticaram a falta de planejamento, já que foi feita a obra na parte elétrica do laboratório para em seguida mudar de lugar. Também criticaram a falta de comunicação, já que o processo de mudança não foi informado e o assunto não foi discutido previamente com os conselheiros. Outro questionamento foi o valor do aluguel do novo prédio, sendo que no PS a coordenadoria não tinha esse custo, mas a STS não soube informar esse dado durante a reunião.

O JG esteve na sexta-feira (27) no laboratório que fica no PS da Lapa e no prédio no Bom Retiro onde já estão sendo finalizadas as obras de adaptação. O coordenador do laboratório, Fábio dos Santos Schlottfeldt, explicou que a nova área trará muito mais qualidade para o trabalho dos 52 funcionários da unidade, com uma disposição adequada dos equipamentos e acessibilidade. Schlottfeldt afirma que hoje o laboratório realiza cerca de 250 mil análises por mês, sendo que há sete anos eram feitas em torno de 120 mil análises por mês. Outra melhoria é a mudança do almoxarifado, que na Lapa fica no andar térreo e a única opção para levar os materiais era através das escadas. Assessoras técnicas da CRS Oeste que também acompanharam a visita, Rosângela Bezerra Santos e Maria Aparecida Lucarelli, informaram que a nova estrutura não irá onerar a Prefeitura, já que o contrato de locação da área já existia e apenas continuará vigente. Informaram também que as obras de adaptação foram custeadas pelo proprietário e que a previsão é que o novo laboratório seja inaugurado após o dia 10 de outubro.

UBS Vila Anastácio

Outro assunto da reunião foi a inauguração da nova UBS da Vila Anastácio, após a publicação da sentença que determinou a desocupação do imóvel onde o equipamento está. A inauguração da nova UBS estava prevista para o dia 15 de setembro, porém, os conselheiros da unidade relatam que as obras atrasaram por diversos fatores, um deles a constatação de que o elevador não tem acesso ao terceiro andar do prédio.

A explicação que tiveram ao visitar a obra é que não haverá elevador na unidade, mas uma plataforma elevatória que já existia antes, quando funcionava uma gráfica no local. A previsão é que o último andar, onde a plataforma não chega, não será utilizado para atendimento ao público. Os conselheiros cobraram o projeto original da obra, para entender por quê o elevador não poderá ser instalado, já que foram informados que poderia ser tanto um erro técnico como a falta de recursos. Pediram também explicações para a falta de acessibilidade total no prédio. Segundo a STS, os móveis já estão sendo entregues na unidade, mas ainda não há data para a inauguração.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA