De volta

0
220

Mais um ano chegou e em um curto período de tempo, durante o recesso das festas, algumas coisas aconteceram.

Tivemos perdas significativas na comunidade, como a do morador muito participativo e engajado José Trindade Celis, e de João Mantovani Filho, um dos responsáveis por preservar a Sociedade Beneficente União Fraterna e permitir que esse marco histórico continuasse ativo na região.

Já o caso de Mário Galdino Pereira foi uma perda que marcou essa semana. Ele faleceu ao entrar em contato com a rede elétrica e receber uma descarga de 13 mil volts. Talvez se a árvore estivesse podada, melhorando a visibilidade dos fios, o acidente não tivesse ocorrido. Da mesma forma que não é prudente subir em uma árvore de rua, já que muitas aqui da região estão em contato com a fiação elétrica.

Mas em um contexto em que torna-se cada vez mais importante a luta por espaços públicos, ruas e praças de qualidade, para que a população possa usufruir dessas áreas e viver melhor, fica muito claro o que deveria ter sido feito: o enterramento dos cabos.

Isso deveria ter começado há muitos anos e não apenas em vias comerciais ou estratégicas como a Avenida Paulista e a Rua Oscar Freire. A última notícia que se teve é que o governador João Doria participou em outubro do ano passado do lançamento do Urban Futurability, projeto de transformação digital da rede elétrica do bairro Vila Olímpia, que prevê estudos e pesquisas feitos pela Enel nos próximos três anos e implementação total ainda sem data. No mesmo evento, o governador anunciou a participação da empresa do setor de energia no Citi (Centro Internacional de Tecnologia e Inovação), previsto para a área da Ceagesp, que seria implementado até 2020 pelo Governo, mas, já sabemos, não deve se concretizar esse ano.

Na política e na administração pública as coisas e, especialmente os prazos, mudam muito rápido. Sendo 2020 um ano eleitoral, promessas das mais improváveis irão aparecer por todo canto. Por outro lado, projetos menores, de impacto local, têm mais chances de saírem do papel. Vale a pena tentar procurar os vereadores da região, que devem estar mais solícitos para ouvir a população.

Temos muitas expectativas para esse ano que acabou de se iniciar e vamos torcer que pequenas melhorias tragam mais qualidade de vida aos moradores da Lapa e, quem sabe, alguma das grandes demandas possa ser encaminhada, como o Hospital Sorocabana.

Vamos acompanhar!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA