Região recebe obras de acessibilidade e nova iluminação

0
251

Foto: Andresa Gouvêa

Andresa Gouvêa
O subprefeito da Lapa Leo Santos concedeu uma entrevista ao JG para falar sobre os projetos que serão iniciados e continuados em 2020

O subprefeito da Lapa Leo Santos concedeu uma entrevista ao JG na quinta-feira (9) para falar sobre os projetos que serão iniciados e continuados em 2020. A primeira parte da entrevista foi publicada na semana passada (Edição 896, de 11 a 17 de janeiro). A seguir, confira a segunda parte da entrevista.

Obras
Leo Santos mantém a promessa que fez logo que assumiu a Subprefeitura Lapa, que é a de trazer mais permeabilidade para a região com a criação de jardins de chuva. Obras já foram entregues na Vila Anglo e Perdizes e uma está em andamento na Rua Vespasiano com a Rua Mário. “Também vamos fazer jardins de chuva em três rotatórias da Rua Fábia, menos naquela do cruzamento com a Rua Catão porque lá passam caminhões e vamos precisar fazer um estudo com a CET”, diz Leo Santos. Também estão previstas obras de segurança viária próximas à Praça Cordilheiras e entre a EMEI Dona Leopoldina e o Pelezão, com redução de velocidade de veículos no trecho. A Rua Tito recebe obras de acessibilidade nas esquinas, com instalação de piso tátil e rampas de acesso. O projeto deverá ser ampliado para outros corredores da região com o apoio da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência.

A Viela Ema Ângelo Murari também será reformada, com novo piso, instalação de bancos e mudança de posição da banca de jornal para que a visão da passagem aumente. O objetivo é levar mais eventos culturais para a viela e estimular o uso daquele espaço público pela população.

Outro projeto do subprefeito é o de reformar o terminal de ônibus na Lapa de Baixo, na Rua William Speers, no mesmo formato do terminal que foi feito atrás do Mercado da Lapa, na Rua Conrado Moreschi, com elevação de guias e piso reforçado.

Árvores
Segundo Leo Santos, o serviço preventivo de podas de árvores realizado em 2019 já surte efeitos. Com duas fortes chuvas, uma delas na quarta-feira (8), apenas uma queda de árvore ocorreu. “A população pode ficar tranquila que a gente não está matando árvores, estamos podando as árvores que precisam ser podadas. Tínhamos um estoque de quase seis mil árvores com solicitação de poda e estamos conseguindo dar celeridade nesse processo. Nosso planejamento é o de zerar esse estoque até julho do ano que vem. Conseguimos reunir força, dinheiro, equipes e relação com a Enel para fazer essas podas em um ano, então parece que saímos cortando árvores a torto e a direto, mas não foi isso. Temos acompanhado e o que tiver de errado vamos notificar e multar”, afirma Leo Santos que completa que o replantio de árvores suprimidas será feito nos mesmos locais das remoções. “Não conseguimos replantar na mesma velocidade porque a Secretaria do Verde está com dificuldades para o fornecimento de novas mudas. O replantio só não será no mesmo local da remoção onde a árvore ficaria embaixo da fiação, mas será replantada próximo. Em casos de empreendimentos ou obras em que árvores foram retiradas, a autorização e o laudo são da Secretaria do Verde, assim como a determinação do local para o replantio”, diz.

O canteiro da Avenida Pompeia também terá remoção de árvores. “A gente tem retirado árvores de grande porte, que estão com 60, 70 anos de idade, ou seja, vão cair. É o caso do canteiro central da Avenida Pompeia onde temos problemas com as raízes, como aquela que caiu em frente ao hospital (São Camilo). Vamos suprimir algumas e substituir por árvores que também serão de grande porte”, declara Leo Santos.

Zeladoria
“A maior parte das reclamações que recebemos são sobre poda de árvores, tapa-buraco e veículos abandonados. É o que mais entra pelo 156”, afirma Leo Santos. O subprefeito explica que com a modernização do sistema 156 no ano passado foi possível reduzir o estoque de reclamações da cidade que era de 430 mil em janeiro de 2017 para 155 mil em novembro de 2019. Sobre o recapeamento de ruas, Leo Santos afirma que a Prefeitura passou a utilizar uma tecnologia de diagnóstico eletrônico das vias, para determinar os trechos que precisam do serviço. “Não é mais medido no olho e também não precisamos asfaltar ruas inteiras, apenas os trechos que têm problemas. Assim, gastamos dinheiro com coisas mais efetivas e necessárias”, afirma.

Já o Plano Emergencial de Calçadas, anunciado pela Prefeitura em 2019, tem suas primeiras intervenções definidas na região, que serão nas ruas Roma e Faustolo. “Independente de serem trechos particulares ou não, as vias foram escolhidas por serem estratégicas, com grande movimentação de pessoas. Também estou conversando com comerciantes das ruas Desembargador do Vale, Cotoxó e Tucuna para fazer calçadas diferenciadas na região, já que ali tem muitos comércios, bares e restaurantes”, diz Leo Santos.

Iluminação
Em fevereiro, a Lapa deverá receber as primeiras ações da PPP da Iluminação, com a mudança para luzes de LED e ampliação do sistema. “Em 2020 a população pode esperar de nós o que já demos em 2019: trabalho árduo, transparência, articulação com a comunidade e escutar o que as pessoas querem. Dentro dos nossos recursos, das nossas possibilidades, queremos transformar a Lapa em um canto da cidade onde a vida pode ser cada vez melhor”, finaliza Leo Santos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA