Diário da Quarentena

0
85

Vivemos um momento bastante atípico. Ninguém podia imaginar que a maior cidade do Brasil iria parar. Na região o impacto é evidente. Ruas vazias e pouco trânsito. Impossível encontrar álcool em gel em qualquer lugar. A resposta é sempre a mesma, que os produtos chegam diariamente, mas não tem como prever quando o álcool irá chegar. Alguns mercados já estão limitando a compra de produtos de higiene por cada cliente, de forma a garantir o estoque.

Reuniões, encontros comunitários e eventos todos cancelados. O que resta às pessoas que estão em casa é trabalhar no formato de home office, escapar da realidade através de séries, filmes e livros, ou mergulhar no excesso de informações dos noticiários que só abordam um único tema, o que é péssimo para a nossa saúde mental.

O mais assustador é não saber quando isso vai terminar, quando a rotina irá voltar. Mas não devemos entrar em pânico. No atual cenário de pandemia, o mais importante é cada um fazer a sua parte. Precisamos ser empáticos para evitar consequências piores. Muitos condomínios já contam com voluntários que se dispõem a fazer compras para os moradores mais velhos, e assim evitar que esse público se exponha ao coronavírus. O momento também pede empatia para evitar uma crise econômica de grande escala.

Diaristas estão sendo dispensadas, sem previsão de quando vão receber novamente. Comércios locais não sabem quando poderão abrir as portas. Legalmente não é obrigação, mas quem puder deveria manter a economia girando ao consumir em locais próximos e manter o pagamento dos seus trabalhadores que estão afastados.

O abastecimento não será interrompido, então não é necessário estocar produtos em casa. Nem todo mundo tem dinheiro para realizar compras grandes, então é preciso garantir que os produtos estejam sempre disponíveis, para todos. O sentimento de coletividade é muito importante neste momento. É muito fácil nos isolar em nossas casas confortáveis ou condomínios completos e ignorar o que está acontecendo ao nosso redor. Devemos sim tomar cuidados, não nos expor a riscos desnecessários e ter hábitos de higiene, que aliás são válidos sempre, não só durante a pandemia.

Precisamos de liderança e informações confiáveis. Neste período, onde tudo muda muito rápido, além das matérias do jornal, vamos gravar boletins no formato de podcast sobre as informações que forem relevantes para a região. O conteúdo estará disponível em nosso site. Precisamos ficar fisicamente distantes, mas não deixaremos de estar próximos de todos vocês. A crise vai passar e a vida retornará ao normal. Não precisamos ficar mais angustiados do que o necessário. Cada um deve fazer a sua parte e, assim, ajudar a todos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA