Diário da Quarentena 11

0
256

Utilizamos a expressão “dourar a pílula” para tornar uma notícia ruim um pouco menos desagradável. Isso é uma prática comum na política que sempre tenta trazer um “porém” positivo mesmo diante de uma catástrofe. Outro hábito de nossos governantes é tentar ampliar as boas notícias, o que pode levar a um entendimento errôneo de quem não está muito a par do assunto.

Esse foi o caso do Hospital Sorocabana essa semana. Na coletiva de imprensa realizada na quinta-feira (28) sobre as medidas de reabertura da cidade, o prefeito Bruno Covas disse que teremos três novos hospitais com leitos para somar forças ao tratamento de pacientes com coronavírus, entre eles o Sorocabana, que é uma grande demanda da população da Zona Oeste. Mas na prática não é bem assim. A área que será utilizada é a do térreo, que já está ativa no complexo onde funciona uma AMA e uma unidade da Rede Hora Certa. Em relação aos andares desativados do hospital, esses sim cuja reativação é cobrada incansavelmente pela população, nada muda.

Nos grupos das mídias sociais o anúncio foi instantaneamente celebrado, o que denota o triste hábito de que as pessoas leem apenas a chamada da notícia e não seu conteúdo na íntegra. Isso também decorre da prática do jornalismo de tentar utilizar títulos chamativos para aumentar o tráfego nos sites, mesmo que não seja totalmente condizente com o conteúdo da matéria. E a natureza do humano médio deste século que vivemos é ser preguiçoso e consumir conteúdo da forma mais fácil possível. O que explica em parte vivermos esse fenômeno tão terrível das fake news.

Utilizar o Sorocabana para leitos de pacientes leves de Covid-19 não é ruim, afinal a informação que temos é a de que o sistema está sobrecarregado. Mas a verdadeira conquista seria o avanço na transmissão do imóvel do Governo do Estado para o Município, para que pudessem ser feitos investimentos e o hospital reaberto em sua totalidade. Porque ao contrário dos hospitais de campanha que começam agora a ser investigados por irregularidades (quem poderia imaginar que algo errado seria feito em um momento de calamidade, que dispensa licitações, não é mesmo?), o Sorocabana reformado continuaria a prestar serviços para a população após a pandemia.

Para mudar esse cenário de administração que parece estar sempre fora do nosso controle, é fundamental participar. Você pode começar agora mesmo ao contribuir com o projeto de lei orçamentária de 2021. Quanto mais pessoas cobrarem melhorias para a região, maiores as chances delas acontecerem.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA